Bem-vindo, !|Sair

Grupo TAP vende aviões Fokker F-100 da ex-PGA à Air Panama

Os seis aviões Fokker F-100 que desde a década de noventa do século passado integraram a frota da PGA – Portugália Airlines vão continuar a voar a partir de 2017, mas ao serviço da companhia regional latino-americana Air Panama com sede na Cidade do Panamá, na América Central, soube o ‘Newsavia’.

As negociações para venda dos aparelhos estão praticamente concluídas e têm decorrido com o apoio da Fokker Services BV (Grupo GKN Aerospace), antiga fábrica dos F-100, onde a produção foi descontinuada, mas que continua a prestar assistência técnica a todos os aviões que ainda voam em diversas companhias no mundo. No final de Novembro passado, tal como o ‘Newsavia’ noticiou, estavam ao serviço 96 aviões desse modelo e 43 estavam armazenados prontos a entrar em operação. Uma boa percentagem, se tivermos em conta que foram fabricadas 149 unidades.

A Air Panama é uma empresa regional criada em 2005 e que desde 2013 integrou na sua frota cinco aviões Fokker F-100, com os quais tem registado um assinalável crescimento na sua rede de voos internacionais, nomeadamente para países vizinhos da América Central e do Sul.

Dos seis aviões que estiveram na frota da PGA apenas dois (CS-TPA e CS-TPC) continuam a voar, suprindo a falta de aeronaves (devido a excepcional procura de lugares) verificada neste mês de dezembro nas linhas agora operadas pela TAP Express, marca criada pela TAP para substituir a PGA, entretanto extinta. Continua a Portugália Airlines, companhia que agora opera os Embraer-190 para a TAP Express, com uma frota de nove aeronaves que passarão a 13 no próximo Verão de 2017. Fontes da companhia admitem que os dois F-100 poderão fazer mais alguns voos enquanto estiverem válidas as suas licenças e até que esteja finalizado o negócio com a Air Panama, o que deverá verificar-se durante o primeiro trimestre de 2017.

A extinta PGA – Portugália Airlines, agora apenas denominada Portugália Airlines, foi criada por iniciativa da Coopav – Cooperativa de Pilotos, da Transconsult – Gabinete de Estudos e Projetos no setor dos Transportes e do Grupo Espírito Santo. Começou a voar em 1990, entre o Porto e Lisboa, com o Fokker F-100 CS-TPA, que ainda continua em atividade. Em 2007 a Portugália passou a integrar o Grupo TAP e assumiu um novo modelo de negócio, passando a trabalhar, dentro de uma lógica de grupo, como provedora de capacidade da frota da companhia de bandeira portuguesa, a quem alugou as suas aeronaves.
 width=“750” height=

Dois Embraer 145 poderão ser operados pela Força Aérea Portuguesa

Entretanto, prosseguem negociações para a venda dos oito aparelhos Embraer 145 que também pertenceram à frota da Ex-PGA e que estão armazenados desde o Verão passado, a maioria no aeroporto de Alverca, no Ribatejo, onde funcionam as oficinas da OGMA Indústria Aeronáutica de Portugal, empresa gerida pela construtora brasileira Embraer.

Segundo conseguimos saber há a possibilidade de dois desses aviões serem adquiridos pelo Ministério da Defesa em Portugal para serem utilizados em missões específicas de transporte, nomeadamente de personalidades e de militares, operados pela Força Aérea Portuguesa (FAP). Outros EMB145 estão a ser negociados com empresas de transporte regional do centro e leste da Europa.

Os aviões EMB145 que integravam a TAP e que pertenciam à ex-PGA, foram substituídos no Verão passado por igual número de aviões ATR72-600, estes propriedade da White Airways que os opera com tripulações próprias para a marca TAP Express.

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica