Aeroporto de Macau readmite pessoal e confirma obras de ampliação

O Aeroporto da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM) implementou uma série de medidas para dar resposta ao aumento dos voos, incluindo o cancelamento de medidas preventivas relacionadas com os trabalhadores e o restabelecimento total dos serviços comerciais, noticiou na semana passada o jornal de língua portuguesa ‘Tribuna de Macau’.

Na sequência das diretrizes emitidas pela Administração da Aviação Civil da China (CAAC) e Autoridade de Aviação Civil de Macau (AACM), o Aeroporto de Macau entrou numa nova fase operacional por forma a responder ao aumento das ligações aéreas, com “segurança” e “eficácia”.

Segundo a Sociedade do Aeroporto Internacional de Macau (CAM), a “Equipa de Resposta à Prevenção de Epidemias” reuniu-se no início do corrente mês de janeiro para definir o novo plano de trabalho, que preconiza o “cancelamento das medidas de gestão de circuito fechado para trabalhadores de alto risco e da área de isolamento para passageiros que chegam” ao território.

Durante a reunião, Deng Jun, presidente da Comissão Executiva da CAM, sublinhou que aquela equipa de trabalho irá “ajustar as políticas existentes da empresa e restaurar a normalização da gestão de recursos humanos”, cancelando as medidas temporárias anteriores relacionadas com os trabalhadores da infraestrutura. “Nesta fase, todos os departamentos são obrigados a fazer um bom trabalho na prevenção e controlo dos funcionários durante o período de pico da infeção pela covid-19 e ajudar os infetados a recuperarem o mais rápido possível”, referiu a CAM, prometendo ainda divulgar “orientações” no sentido de “evitar a ocorrência de infecções secundárias”.

Atendendo à aproximação do Ano Novo Chinês, “a expansão do mercado de transporte de passageiros e cargas também deve ser retomada o mais rápido possível”, indicou a empresa, acentuando que, em linha com as novas exigências do Governo para a indústria do jogo, “o layout e as instalações de apoio no aeroporto serão ajustados” por forma a fornecer novos modelos de serviços. Nesse contexto, os “serviços comerciais do aeroporto serão totalmente restaurados para proporcionar aos passageiros uma nova experiência de serviço”, refere ainda, assumindo a necessidade de “reforçar ainda mais a gestão das instalações operacionais aeroportuárias e a supervisão e gestão dos prestadores de serviços”.

Entre outras medidas, a CAM quer avançar com a construção e ocupação do Terminal 2 e do heliporto para oferecer “novas instalações básicas de transporte” e serviços de aviação geral. “É necessário garantir uma conexão perfeita entre a extensão sul do edifício do terminal de passageiros e a parte principal”, sublinhou, asseverando que irá “manter a cooperação e coordenação com vários departamentos governamentais para implementar com firmeza o projeto de expansão” e do aeroporto, aprovado pelo Governo Central da República Popular da China.

A reunião contou com a presença dos diretores executivos Chu Tan Neng, Kan Cheok Kuan, Lei Si Tai e Leung Henry Yee Hang, entre outros responsáveis. Chu Tan Neng classificou a próxima temporada de viagens do Ano Novo Chinês como “a primeira batalha” do Aeroporto de Macau em 2023.

 

  • Texto publicado pelo jornal “Tribuna de Macau” no dia 10 de janeiro de 2023

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica