Avião da SkyUp que fazia voo da Madeira para a Ucrânia aterra na Moldávia

A companhia aérea ucraniana SkyUp Airlines disse neste domingo, dia 13 de fevereiro, que o voo que ligava a ilha da Madeira à cidade de Kyiv (antes denominada Kiev), capital da Ucrânia, aterrou em Chisinau, Moldávia, porque a empresa irlandesa, proprietária do aparelho, proibiu as aeronaves de sua propriedade de sobrevoarem o espaço aéreo da Ucrânia.

“De acordo com a exigência do proprietário do avião (…) o voo PQ0902 da rota Funchal-Borispol foi obrigado a aterrar em Chisinau”, refere a companhia aérea num comunicado publicado na sua página da internet. Segundo a nota, “o proprietário [do avião], residente na Irlanda, informou a companhia aérea sobre a proibição imediata da entrada da aeronave UR-SQO no espaço aéreo da Ucrânia”.

“Apesar de todos os esforços da companhia aérea e da disponibilidade das estruturas estatais ucranianas para apresentar uma solicitação ao arrendador, o proprietário do avião negou categoricamente, no momento em que o avião já se deslocava para Kiev”, escreve a SkyUp.

A companhia aérea refere no comunicado que conseguiu autorização para aterrar no aeroporto mais próximo da Ucrânia, em Chisinau, na capital da Moldávia, e que organizou “o transporte, assim como alimentação, dos 175 passageiros para a capital” ucraniana.

Isto aconteceu pouco depois de a comunicação social ucraniana anunciar que algumas das mais importantes seguradoras internacionais deixaram de cobrir as companhias aéreas que sobrevoam a Ucrânia a partir de segunda-feira, devido à ameaça de um ataque russo.

De acordo com o mesmo portal, no sábado, as maiores seguradoras britânicas, que por sua vez reasseguram outras seguradoras, enviaram uma carta oficial a todos os arrendadores de aeronaves para os avisar de que a cobertura dos seguros na Ucrânia, e para os aviões que sobrevoam o país, deixará de funcionar no prazo de 48 horas.

A medida significaria um bloqueio aéreo sobre o país, já que “nenhum avião descolaria a partir da Ucrânia nem aterraria na Ucrânia a partir do meio dia de segunda-feira”, disse à agência de notícias ‘EFE ‘uma fonte da Strana.

O avião Boeing 737-800 da SkyUp Airlines, que fazia o voo PQ902 descolou do Aeroporto da Madeira-Cristiano Ronaldo no sábado, dia 12 de fevereiro, pelas 21h04 locais, e deveria aterrar no Aeroporto Internacional de Kyiv/Borispol pelas 04h00 locais deste domingo. A companhia ucraniana voa uma vez por semana para a Madeira, transportando essencialmente turistas que passam férias nesta ilha portuguesa no Oceano Atlântico, situada a cerca de 970 quilómetros do continente europeu e conhecida pelo seu clima ameno e sub-tropical.

 

  • Informação distribuída pela agência portuguesa de notícias ‘LUSA’.

1 Comments

  1. Avatar

    “o proprietário do avião negou categoricamente, no momento em que o avião já se deslocava para Kiev” o avião esta registado na Ucrânia e não pode aterrar na Ucrânia? e se o Governo ucraniano requisitar militarmente o avião, o que faz o proprietário?
    impera a “amizade” entre proprietários, seguradoras e utilizadores… é tão bonito…

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica