Bem-vindo, !|Sair

B737-200 mexicano ao serviço da Cubana cai em Havana – Mais de uma centena de mortos

APP NEWSAVIA - Agora com chat e descontos em cupões


 

Um avião Boeing 737-200 pertencente à companhia mexicana Global Air (Aerolínea Damojh, S. A.), que estava fretado à companhia estatal de aviação comercial Cubana Aviación, caiu na tarde desta sexta-feira, dia 18 de maio, durante a descolagem no Aeroporto Internacional José Martin, que serve a cidade de Havana, capital da República de Cuba, nas Caraíbas.

A bordo seguiam 104 passageiros e seis tripulantes, estes de nacionalidade mexicana, num total de 110 ocupantes. O avião fazia um voo doméstico entre Havana e Holguin, que deveria demorar cerca de uma hora e vinte minutos (distância de 760 quilómetros). Desconhecem-se os motivos que estão na origem do sinistro que deverá ter custado a vida a mais de uma centena de pessoas. Aguarda-se uma notificação oficial sobre o número de vítimas. As primeiras notícias confirmadas pelas autoridades locais apenas apontam para três sobreviventes, todas mulheres com menos de 40 anos de idade, que se encontram em estado crítico num hospital da capital cubana. Entretanto ao princípio da noite desta sexta-feira (cerca das 24h00 UTC) foi anunciado que uma das sobreviventes faleceu no Hospital Calixto García, onde estava a ser assistida.

O presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, e outras autoridades nacionais visitaram o local do acidente que fica a cerca de 30 quilómetros da cidade de Havana, tendo na ocasião o Chefe de Estado manifestado o seu pesar pelo sucedido e apresentado condolências às famílias das vítimas. O Conselho de Estado decretou dois dias de luto oficial, que serão respeitados no sábado e domingo próximos.

O Aeroporto Aeroporto Internacional José Martin encerrou ao tráfego comercial desde as 12h10 locais (16h10 UTC), hora em que ocorreu o desastre, mas reabriu ao fim da tarde.

A Globar Air é uma companhia mexicana fundada em 1990, especializada em transporte aéreo executivo e comercial que aluga aviões em regime ACMI e wet-lease, de acordo com as solicitações de outras companhias aéreas ou organizações. A sua frota é constituída por aviões Boeing 737-200 e 737-300, todos com mais de 25 anos de serviço.

O avião Boeing 737-200 Adv da Global Air acidentado no Aeroporto de Havana. Foto © Hector Montes de Oca/www.airliners.net

Segundo acidente mais grave em Cuba

Este é o segundo acidente de aviação mais grave ocorrido em Cuba. A lista é liderada por um desastre ocorrido no dia 3 de setembro de 1989 com um avião Ilyushin Il-62M da Cubana de Aviación, empresa estatal de aviação comercial, que teve um saldo de 126 mortos. Caiu nos arredores da cidade de Havana.

Governo mexicano confirma acidente e identifica avião

A secretaria de Estado das Comunicações e Transportes do México distribuiu na tarde desta sexta-feira, dia 18 de maio, um comunicado oficial, através da sua página na Internet, em que confirma que o avião acidentado em Havana, é um Boeing 737-200 Advanced, matrícula XA-UHZ, que saiu de fábrica em 1979 (com 39 anos de serviço) que estava a ser operado pela Global Air (Aerolíneas Damojh S. A.) e alugado à Cubana de Aviación.

Segundo o comunicado oficial da entidade mexicana o avião terá sofrido uma falha de motor na descolagem e caiu a cerca de 10 quilómetros do aeroporto de Havana.

A companhia aérea mexicana, confirma a nota da secretaria de estado, tem registados na sua frota três aviões, sendo dois Boeing 737-300 e um Boeing 737-200 (acidentado).

O companhia, o avião e todos os tripulantes tinham os respectivos certificados e documentos em dia.

  • Notícia atualizada às 01h30 UTC de sábado, dia 19 de maio.
  • Foto de abertura © Granma Digital

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica