B737-800 da Pegasus sai de pista em Istambul – três mortos e 179 feridos

Um avião de passageiros Boeing 737-800 da Pegasus Airlines que fazia o voo PC2193 do Aeroporto de Izmir para o Aeroporto de Istambul/Sabiha Gökçen (SAW), na Turquia, despistou-se na tarde desta quarta-feira, dia 5 de fevereiro, após a aterragem tendo saído da pista e quebrado a fuselagem em três secções. As últimas notícias, confirmadas pelo ministro da Saúde turco às 24h00 locais (21h00 UTC) dão conta de que há três mortos e 179 feridos hospitalizados. De notar que o número de vítimas tem vindo a subir ao longo do dia. Poucos minutos após o acidente falava-se de apenas 32 feridos, mas a verdade é que neste aspecto tem havido alguma descoordenação nas informações que chegam aos jornalistas. A bordo seguiam 183 pessoas.

Informações aeroportuárias indicam que o avião percorreu a totalidade da pista de aterragem (06/24), num extensão de três mil metros, tendo ficado imobilizado num terreno por debaixo da cabeceira da pista, a cerca de 30 metros de desnível e junto de uma das mais movimentadas auto-estradas da cidade. Outras fontes que citam os registos dos radares disseram que o avião só tocou na pista a cerca de 6.400 pés (1.950 metros) da cabeceira de entrada e a 3.300 pés (1.005 metros) da cabeceira final.

Equipas de socorro e bombeiros aeroportuários retiraram os ocupantes, 177 passageiros e mais seis tripulantes, num total de 183 pessoas, que foram levados por cerca de 30 ambulâncias para diversos hospitais na cidade de Istambul. Ao fim da tarde, notícias confirmadas por fontes governamentais, incluindo o ministro dos Transportes, indicavam que não se tinham registado vítimas mortais e que apenas 52 ocupantes tinham sido levados para hospitais onde estão a ser assistidos. Na verdade até esta hora não havia, felizmente, mortos, mas o número de feridos aumentou bastante e havia notícia de alguns feridos graves (22h40 locais/19h40 UTC).

Nesta imagem reproduzido do site do ‘FlightRadar24.com mostra o avião a ser rastreado já no final da pista, poucos segundos antes de se despistar e ficar entre a cabeceira da pista e a autoestrada que vemos desenhada na imagem.

O avião acidentado tem o registo TC-IZK e foi construído em 2009. Foi entregue primeiro à companhia alemã Air Berlin, onde tomou o registo D-ABKD, tendo passado em 2016 para a Izmir Airlines, uma companhia turca, sendo operado pela Pegasus Airlines. O avião é propriedade da empresa de leasing SMBC Aviation Capital.

Fontes do aeroporto disseram que o acidente ocorreu pelas 18h20 locais (15h20 UTC) e que as condições meteorológicas eram de temporal com rajadas de vento forte com trovoada. O movimento de aviões no Aeroporto de Istambul/Sabiha Gökçen continua suspenso.

Este é o terceiro acidente grave da Pegasus Airlines, dois dos quais com perda total da aeronave, desde 2018 e devido a aterragens desastrosas.

O primeiro foi a 13 de janeiro de 2018 quando um Boeing 737-800, matrícula TC-CPF, com apenas seis anos de serviço, saiu da pista ao aterrar no Aeroporto de Trabzon, no norte da Turquia, em viagem de Ancara, capital do país. Trazia a bordo 168 passageiros que foram salvos numa delicada operação de resgate, da a posição em que se encontrava o avião. Registaram-se 11 feridos ligeiros e o avião foi desmanchado para poder ser retirado da periclitante posição em que se encontrava, a escorregar para o mar.

O segundo acidente, ocorreu há menos de um mês, no dia 7 de janeiro de 2020, também no Aeroporto de Istambul/Sabiha Gökçen. Outro Boeing 737-800, matrícula TC-CCK, procedente de Sharjah, nos Emirados Árabes Unidos, despistou-se durante a aterragem e ficou atolado na lama entre a pista um caminho de circulação (taxi away). A bordo seguiam 164 passageiros que desembarcaram ilesos. O avião ficou bastante avariado, estando em avaliação técnica. Não foi ainda decidida a sua reparação.

Quanto ao avião envolvido no acidente desta quarta-feira, dia 5 de fevereiro, já vimos pelas imagens que está totalmente perdido.

 

  • Notícia atualizada às 23h50 UTC

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica