B767-300ER da Air Canada aterra de emergência em Madrid

Um avião Boeing 767-300ER da Air Canada, registo CGHOZ, aterrou com sucesso no Aeroporto Adolfo Suárez Madrid-Barajas pelas 19h15 locais (18h15 UTC), sem quaisquer incidências de segurança, depois de ter estado mais de três horas a queimar combustível numa zona a sul do aeroporto da capital espanhola.

O aparelho tinha descolado pelas 14h57 (13h57 UTC) desta segunda-feira, dia 3 de fevereiro, e terá sofrido o rebentamento de um ou mais pneumáticos do trem principal aquando da descolagem, tendo deixado bocados de borracha sobre  a pista. Algumas fontes não confirmadas afirmaram que um dos pneus terá ficado na pista. O comandante entendeu que deveria regressar a Barajas por previdência.

O avião realizava o voo AC837 entre o Aeroporto Adolfo Suárez Madrid-Barajas (MAD) e o Aeroporto Internacional Lester B. Pearson/Toronto (YYZ), tendo embarcado 138 passageiros. Descolou com cerca de duas horas de atraso. As autoridades aeroportuárias garantiram todas as condições de segurança para a aterragem do avião, logo que o comandante entendesse ser a ocasião adequada. No aeroporto posicionaram-se diversas unidades de socorro, situação normal, como prevenção, em casos desta natureza. Nenhum foi utilizada.

Um avião caça F-18 Hornet do ‘Ejército del Aire’ (Força Aérea Espanhola) esteve a voar a par com o avião de bandeira canadiana, a fim de verificar eventuais anomalias exteriores no trem de aterragem. No Aeroporto de Madrid-Barajas esteve reunido desde meio da tarde desta segunda-feira uma comissão de crise que esteve a seguir a situação.

Os passageiros foram desembarcados e serão alojados em Madrid por conta da companhia aérea. Deverão seguir viagem na terça-feira, dia 4 de fevereiro. O avião está a ser inspeccionado por pessoal técnico de manutenção.

Na sua conta de Twitter, José Luís Ábalos, ministro dos Transportes, Mobilidade e Agenda Urbana de Espanha, felicitou os pilotos pela sua perícia e todas as entidades envolvidas pelo sucesso desta operação de retorno da aeronave canadiana ao Aeroporto de Madrid-Barajas.

A Air Canada, por seu lado, distribuiu uma nota de imprensa através das redes sociais em que também se congratula pelo sucesso da operação e afirma que o retorno a Madrid aconteceu porque o avião tinha um problema grave num dos motores. Esta versão dá alguma razão a notícias que indicavam que o motor do lado esquerdo teria ingerido destroços dos pneumáticos após o rebentamento ainda no momento da descolagem.

 

  • Na imagem vemos o avião matrícula C-GHOZ no Aeroporto de Madrid-Barajas. A foto foi obtida há cerca de um ano pelo spotter Gary Oragano (www.jetphotos.com)

 

  • Notícia atualizada às 18h50 UTC

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica