British tem dois voos diários Heathrow-Madeira em quatro dias da semana

A British Airways, a mais importante companhia aérea do Reino Unido, que lidera o Grupo IAG, com grande destaque europeu, aumentou nas últimas semanas o número de voos de Londres/Heathrow para a ilha da Madeira, face à grande procura que se tem verificado por parte dos turistas britânicos que estão a optar pelo arquipélago português do Oceano Atlântico, integrado na ‘lista verde’ do Governo de Londres.

Os britânicos, que visitam a Madeira há mais de 200 anos, desde o tempo em que os seus navios a vapor passavam na ilha a caminho das então denominadas Índias Ocidentais (nas Caraíbas) ou para a África do Sul, Índia e Austrália, constituíram, em 2019, o maior contingente de turistas europeus na hotelaria regional, o que volta a acontecer neste ano, pelo menos, até à reabertura do mercado alemão, cujos voos serão retomados até final do corrente mês de julho.

A British Airways tem voos diretos de Londres desde há vários anos, tendo demonstrado sempre o seu interesse em viajar diretamente para a Região Autónoma. Além do turismo, há um mercado potencial dos milhares de portugueses, naturais da Madeira e descendentes, que vivem na Grã-Bretanha e nas ilhas do Canal. Um canal de emigração que se desenvolve desde os anos cinquenta do século passado, primeiro para a hotelaria e serviços de restauração, mas hoje com um abrangência muito grande, inclusivamente nos serviços de saúde e financeiros. Calcula-se que o número possa ultrapassar presentemente os 50 mil, com a chegada de outros emigrantes que se mudaram da Venezuela e da África do Sul, onde a situação político-social tem provocado uma fuga para zonas mais estáveis. Um tipo de emigrantes que, em condições normais, visita, pelo menos uma vez por ano, a sua terra natal.

A oferta para a Madeira desde o Reino Unido é presentemente grande e, para já, na retoma da pandemia, suficiente, consideram os operadores turísticos. No corrente mês de julho a média de chegadas semanais do Reino Unido é de 47 voos, com igual número de partidas. “Um processo que é dinâmico e que pode crescer durante os próximos meses”, disse ao ‘Newsavia’ uma fonte aeroportuária. Além da British voam para a ilha portuguesa outras companhias europeias de cidades britânicas, nomeadamente a Jet2com, a EasyJet, a TUIfly UK e a Wizz Air UK.

Apenas a TAP Air Portugal, companhia de bandeira portuguesa, despreza o mercado britânico, em voos diretos para a ilha, depois de ter voos diários diretos de Londres/Heathrow, e depois de Londres/Gatwick. A rota foi abandonada alegando que as faixas horárias não eram as melhores para atrair passageiros. Contudo, eram voos com ocupações altas. A companhia portuguesa optou por dirigir todo o seu tráfego via o hub de Lisboa, que, nos últimos anos, se tornou um gargalo desmotivador, enchendo os aviões das outras companhias que voam diretamente para a ilha atlântica.

Na segunda metade do corrente mês de julho, a British Airways tem dois voos diários para a Madeira às segundas, terças, sábados e domingos. Nos outros dias tem apenas uma ligação, perfazendo uma média de 10 voos semanais. Os voos são regulares e podem ser reservados e os bilhetes adquiridos através de todas as plataformas de vendas autorizadas. Destacam-se as agências de viagens tradicionais através dos sistemas universais de reservas e vendas (GDS) e os canais de internet da companhia e agências registadas.

 

  • Na imagem de abertura vemos um Airbus A320neo da British Airways a aterrar no Aeroporto da Madeira-Cristiano Ronaldo no passado dia 18 de julho. Foto © Rui Sousa/Blog Planes&Stuff

 

 

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica