Cabo Verde Airlines realizou seis voos de repatriamento

A Cabo Verde Airlines realizou seis voos de repatriamento, com 763 passageiros de várias nacionalidades, apesar da suspensão da atividade comercial desde 18 de março, devido à pandemia de covid-19, disse à agência de notícias portuguesa ‘Lusa’ o presidente da companhia.

Os números foram avançados neste sábado, dia 4 de abril, pelo presidente e diretor executivo da Cabo Verde Airlines (CVA), Erlendur Svavarsson, acrescentando que nos dias 24 e 28 de março, já com os aeroportos de Cabo Verde encerrados a voos comerciais para o exterior, a companhia realizou dois voos de repatriamento entre a Praia e Boston (EUA), transportando 365 passageiros norte-americanos e regressando com um total de 62 cidadãos cabo-verdianos.

“Estes voos foram organizados pela Embaixada dos Estados Unidos em parceria com o Governo de Cabo Verde”, referiu Erlendur Svavarsson.

A companhia acrescenta que tem “estado envolvida em outros voos de repatriamento, organizados pelo Governo de Cabo Verde e pelas entidades diplomáticas dos respetivos países”, mantendo a “vontade de apoiar todas as autoridades governamentais a levar de volta cidadãos aos respetivos países de origem”.

Entre a ilha do Sal (Cabo Verde) e Fortaleza (Nordeste Brasileiro) foram repatriados 109 cidadãos brasileiros, regressando daquela cidade brasileira com 39 cabo-verdianos. Foram ainda realizados voos entre o Sal e Lisboa, para repatriar 179 portugueses, e de regresso àquela ilha com nove cabo-verdianos.

A CVA suspendeu temporariamente todas as atividades de transporte em 18 de março, por pelo menos 30 dias, devido à pandemia de covid-19. Alguns destinos da companhia aérea foram vedados, preventivamente, por decisões dos respetivos países como forma de contenção da pandemia. Além disso, por decisão do Governo cabo-verdiano, e pelo menos até 9 de abril, estão proibidas as ligações aéreas oriundas de 26 países, incluindo Portugal e Brasil, deixando a transportadora sem atividade.

A companhia cabo-verdiana conta atualmente com 330 trabalhadores.

Questionado pela ‘Lusa’ com a possibilidade de recorrer à suspensão dos contratos, medida previsto pelo Governo cabo-verdiano para as empresas com a atividade afetada pela pandemia de covid-19, Erlendur Svavarsson não descartou esse cenário.

“A Cabo Verde Airlines está a avaliar as medidas governamentais de apoio às empresas e tomará as ações que considerar necessárias para proteger os seus colaboradores neste contexto difícil”, apontou.

 

  • Mais notícias sobre a pandemia do Novo Coronavírus/Covid-19 – LINK

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica