Custos com pessoal e efeito de sazonalidade explicam prejuízos na TAP, diz o administrador financeiro

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

O administrador financeiro (CFO) da TAP afirmou nesta terça-feira, dia 18 de junho, que a empresa vive um momento histórico, justificando os prejuízos do último trimestre de 2023 e primeiro de 2024 com os custos com pessoal pelos novos acordos e o efeito sazonal.

Gonçalo Pires foi ouvido pelos deputados da Comissão de Economia, Obras Públicas e Habitação da Assembleia da República, em Lisboa, sobre a situação financeira da TAP, na sequência de um requerimento do partido Chega, tendo referido que “obviamente que os custos com pessoal tiveram impacto” nos resultados registados, porque a companhia aérea celebrou acordos de empresa “que representam um encargo adicional”.

Mas nestes resultados pesa também “um efeito de sazonalidade” do negócio, disse, salientando que se vive “um momento histórico na TAP”, pois os resultados de 2023 “são históricos” – notando que o plano de reestruturação apenas apontava para resultados positivos em 2024.

A TAP comunicou prejuízos de 71,9 milhões de euros no primeiro trimestre do ano, um agravamento face ao resultado líquido negativo de 57,4 milhões registados no mesmo período do ano passado.

Em 2023, a companhia aérea registou um lucro ‘recorde’ de 177,3 milhões de euros, com um prejuízo de 26,2 milhões no último trimestre daquele ano.

Durante a audição os deputados do PSD Gonçalo Lage e do Chega Carlos Barbosa questionaram o responsável financeiro da TAP sobre a privatização da companhia. A resposta de Gonçalo Pires não se afastou do registo de que o papel dos gestores é gerir e não fazer comentários sobre cenários, nem sobre timings, nem sobre desejos do acionista.

O administrador financeiro da transportadora aérea disse ainda que o custo com combustível representa 30% dos custos da empresa, tendo sido “mais de um dos desafios que a TAP enfrentou desde o início da execução do plano” de reestruturação.

Apesar dos resultados no primeiro trimestre, afirmou que o segundo e terceiro trimestres do ano “meses fortes” onde a TAP gerará resultados positivos, ainda que o ano de 2024 terá também o impacto da subida de custos.

Os novos acordos de empresa foram negociados com todos os sindicatos representativos dos trabalhadores da companhia, após os antigos terem sido denunciados para que pudessem entrar em vigor os acordos temporários de emergência, que permitiram a aplicação de cortes salariais, no âmbito do auxílio de Estado e do plano de reestruturação, no seguimento das dificuldades causadas pela pandemia de covid-19.

  • Notícia divulgada pela agência ‘Lusa’

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

Pilotos da TACV suspendem greve após acordo com empresa e o Governo de Cabo Verde

Os pilotos dos voos internacionais da TACV – Transportes...

Governo assegura que “não vai haver aporte do Estado” para o novo aeroporto de Lisboa

O ministro português das Infraestruturas, Miguel Pinto Luz (na...

Lisboa volta a ter voo direto para o Cairo – Egyptair retomou a rota com dois voos semanais

A Egyptair está de regresso a Portugal, tendo retomado...

CRJ-200ER despenhou-se no Nepal – Morreram 18 dos 19 ocupantes da aeronave que fazia um voo de teste

Um avião a jato bimotor CRJ-200ER da companhia nepalesa...