Ethiopian transporta material médico para combate à Covid-19 em Moçambique

Moçambique espera receber nesta semana material médico para controle e prevenção da pandemia Covid-19 causada pelo novo coronavírus. Trata-se de 20 mil kits de despistagem, 100 mil máscaras médicas e 1.000 fatos de proteção que este país africano de língua oficial portuguesa irá receber, doados pelas Fundações Jack Ma e Alibaba, da República Popular da China, e, que vão ser transportados pela companhia aérea etíope, Ethiopian Airlines.

Conforme a RDP/África noticiou na segunda-feira, 23 de março, igual quantidade de equipamento médico, está a ser distribuída pela companhia pan-africana, a partir de Adis Abeba, capital etíope, para todos os países membros da União Africana, em coordenação com o Centro Africano de Controle a Doenças, Governo da Etiópia e pela Fundação Ali Baba.

Nesta terça-feira, 24 de março, o presidente executivo da Ethiopian Mozambique Airlines (subsidiária da Ehiopian Airlines em Moçambique), Redi Muktar, disse não saber ainda, quando o equipamento chegará a Moçambique. Todavia avançou que a companhia já distribui o material em, pelo menos, quatro países africanos.

“Até agora, o Egipto, Sudão, Eritreia e o Djibuti receberam a sua parte. Ainda estamos aguardando uma atualização sobre a distribuição para outros países”, respondeu Muktar.

O director-adjunto do Instituto Nacional da Saúde de Moçambique, Eduardo Samo Gudo, disse que em princípio o material deverá chegar àquele país ainda esta semana. Acrescentou que o mesmo será descarregado no Aeroporto Internacional de Maputo, donde será transportado para o laboratório de testes, instalado no distrito de Marracuene, norte da cidade de Maputo e, por fim distribuído por todo o País.

Até esta terça-feira, dia 25 de março, Moçambique havia testado 67 casos suspeitos de infecção da Covid-19, dos três acusaram positivo. Desses, o primeiro foi anunciado pelas autoridades de saúde nacional no último domingo, 22 de março. Trata-se de um cidadão de nacionalidade moçambicana com mais de 70 anos, regressado do Reino Unido em meados do corrente mês.

 

A Ethiopian Airlines está desempenhando um papel fundamental no transporte de equipamentos médicos para combate à Covid-19 através do seu hub em Adis Abeba para as 54 nações da África, incluindo o transporte recente de equipamentos doados pelas duas fundações chinesas, ambas pertencentes ao magnata Jack Ma, dono do Grupo Alibaba, e que se comprometeu em colocar em Adis Abeba 1,1 milhões de testes de despiste, seis milhões de máscaras e 60.00 fatos protectores para pessoal médico. Material que será dividido pelos 54 países da União Africana. Um trabalho que na capital etíope está  ser coordenado pelo primeiro-ministro da Etiópia Abiy Ahmed Ali (foto acima), que se comprometeu desde início com as fundações chinesas a levar, nos aviões da Ethiopian Airlines, os equipamentos a todos os países africanos. Aliás Ahmed Ali, distinguido com o Prémio Nobel da Paz em 2019 (pela sua intervenção no processo de paz na Eritreia), está a ter um papel crucial nos movimentos de sensibilização dos cidadãos africanos face à ameaça desta pandemia e montou em Adis Abeba um autêntico quartel-general multinacional de combate à pandemia.

 

  • Texto: Evaristo Fernando Chilingue, especial para o ‘Newsavia’.

 

  • Mais notícias sobre a pandemia do Novo Coronavírus/Covid-19 – LINK

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica