FAP liberta meios e facilita operação civil no espaço aéreo de Sintra

A Força Aérea Portuguesa e a NAV Portugal chegaram a um entendimento sobre a libertação de espaço aéreo militar de Sintra para a atividade civil, através da celebração de uma nova carta de operações entre estas duas entidades, revela um comunicado governamental, distribuído em Lisboa na sexta-feira, dia 28 de junho.

Esta nova carta de operações viabilizará a implementação de novos procedimentos de navegação aérea na aproximação a Lisboa, com o designado sistema point merge, favorecendo uma eficiente sequenciação das aeronaves nas chegadas, esclarece o Ministério das Infraestruturas e Habitação (MIH), que cita uma resolução do Conselho de Ministros n.º 94/2019, do passado dia 12 de junho.

O comunicado diz que estão assim reunidas condições para que, do lado da navegação aérea, a operação no Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, tenha melhorias significativas já no próximo Verão IATA 2020, com reflexos nos movimentos controlados.

Na opinião do Governo Português está dado “mais um passo decisivo para aumentar a capacidade aeroportuária com o projeto de infraestruturas de ampliação do Aeroporto Humberto Delgado e de construção de um novo aeroporto complementar na Base Aérea n.º 6, no Montijo”.

O documento governamental destaca que o Governo reconhece o esforço e o empenho da Força Aérea Portuguesa e da NAV Portugal no trabalho que tem sido desenvolvido no processo de expansão da capacidade aeroportuária da região de Lisboa e, em particular, na gestão dos fluxos de aeronaves militares e civis, sem comprometer a atividade de cada uma das instituições.

Em declarações à estação de rádio TSF, o porta-voz da Força Aérea, tenente-coronel Manuel Costa, explicou que com esta cedência, aumenta-se a capacidade dos terminais de Lisboa. Para isso, há “transferência de alguns meios de Sintra para Beja”, bem como a concentração dos Helicópteros em Sintra, “vão começar a operar a partir de Sintra e, a ESQUADRA 101 – “RONCOS”, que atualmente está em Sintra, vai passar para a Base Aérea Nº 11, em Beja”, esclareceu. Todo este processo vai ser feito de forma gradual, não estando prevista a data da sua conclusão.

Num comunicado separado, a NAV especificou que este acordo “faz parte de um plano gradual de aumento de capacidade do sistema aeroportuário de Lisboa, permitindo à NAV Portugal implementar, já a partir de abril do próximo ano, um sistema mais eficiente de encaminhamento de tráfego aéreo”, ou seja, o sistema point merge. Além disso, explica a NAV, o entendimento agora atingido “vai permitir a utilização, pelo tráfego civil, de parte do espaço aéreo sob responsabilidade militar, sendo o primeiro passo de um plano de reestruturação do espaço aéreo nacional”.

 

  • Na imagem de abertura foto de arquivo da Base Aérea de Sintra, nos arredores da cidade de Lisboa.

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica