Governo de Cabo Verde vai alugar aviões para a companhia aérea poder funcionar

Olavo Correia, vice-primeiro ministro e ministro das Finanças da República de Cabo Verde, confirmou nesta quarta-feira, dia 21 de novembro, que a Cabo Verde Airlines, designação comercial da companhia aérea estatal TACV – Transportes Aéreos de Cabo Verde, vai ter de adquirir aviões em leasing antes de ser concretizada a operação de privatização da empresa, à qual se candidatou o Grupo Icelandair, que neste momento é responsável pela gestão da companhia aérea cabo-verdiana.

Os voos inter-ilhas estão a ser assegurados pela Binter Cabo Verde, enquanto os voos para o exterior do território nacional são da responsabilidade da TACV/Cabo Verde Airlines, empresa que utiliza, neste momento, aviões alugados ao Grupo Icelandair.

Num post colocado na sua página de Facebook com o título “Clarificando a questão da TACV: O Governo não vai adquirir cinco aviões!” Olavo Correia esclarecesse que “o  que está em causa é que, enquanto a TACV não for privatizada, continua e terá que continuar a voar”.

O governante diz no seu post que os aviões (sem enumerar quantos) serão adquiridos “em regime de leasing (aluguer)” e que “toda a operação feita no quadro deste contexto é da responsabilidade da TACV e, em última instância, o acionista Estado”.

Porém, esclarece que, quando a empresa (TACV) for privatizada, “a responsabilidade do leasing dos aviões passará para a empresa que vier a assumir a responsabilidade da TACV”.

Olavo Correia escreve ainda que “é muito importante que haja uma boa gestão da informação sobre esta matéria, sob pena de prejudicar o próprio processo de privatização que já vai na fase final”.

O mesmo avança que, “embora todas as variáveis não estejam sob o controlo do Governo de Cabo Verde, pretendemos fechar este processo até o final deste ano”.

Na terça-feira, dia 20 de novembro, o primeiro-ministro Ulisses Correia e Silva reiterou, em entrevista na estação televisiva estatal TCV, que o Governo pretende fechar a privatização da TACV até final do ano, mas deixou escapar que “senão for com a Icelandair, iremos procurar novos parceiros”.

Recorde-se que há mais de um ano que o Governo vem trabalhando o dossier da privatização da TACV tendo escolhido a Icelandair como parceira. O processo tem sido mantido em “segredo” por parte do Governo, com a companhia a continuar a registar muitos problemas e o Executivo nacional a injetar muito dinheiro na empresa. Entre os problemas destaca-se a falta de aviões, problemas dos trabalhadores por resolver devido ao saneamento dos recursos humanos da empresa e pilotos em terra.

 

  • Matéria com base em texto publicado na edição online do jornal ‘A Nação’ de Cabo Verde, incluindo transcrições.
  • Foto de entrada © Carlos Freitas

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica