Governo não recorrerá à requisição civil dos pilotos da TAP e PGA

O ministro português da Economia, António Pires de Lima, disse nesta quinta-feira, dia 23 de Abril, em Lisboa, que o Governo de Lisboa não vai recorrer à requisição civil por entender que as circunstâncias específicas que justificaram essa opção na altura do Natal não se verificam agora.

Pires de Lima lembrou que os pilotos não estão contra a privatização da TAP, mas exigem ficar com 20% da companhia aérea. Algo que, na óptica do Governo está completamente afastado de discussão.

O governante, que falava a um grupo de jornalistas na inauguração do novo Hotel Porto Bay Liberdade em Lisboa, sublinhou ainda que cada um tem de assumir as suas responsabilidades, que o Governo vai cumprir o acordo assinado em Dezembro, voltando a manifestar a convicção de que “o bom senso vai prevalecer”.

Entretanto, num comunicado divulgado nesta quinta-feira o Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) estima que a greve na TAP e na Portugália, agendada para o período compreendido entre 1 e 10 de Maio, tenha uma adesão de 90%. O SPAC diz ainda que “a TAP e o Governo procuram desesperadamente fabricar e fomentar cisões imaginárias no seio dos pilotos com o propósito de os demover da defesa dos seus legítimos interesses concretos”.

O comunicado do SPAC procura desta forma responder a notícias veiculadas esta manhã pelo ‘Diário de Notícias’ de Lisboa que referem que “um em cada três pilotos está contra a greve e que alguns deles ponderam criar um novo sindicato”. “Sempre que há conflitos esse tema é fabricado artificialmente pela TAP e pelo Governo, em desespero de causa”, adianta o SPAC acerca desta matéria.

 

SPAC espera que haja uma adesão de 90 por cento

Questionado pelo ‘Jornal de Negócios’ sobre os cálculos feitos pelo sindicato para calcular em 90% a adesão à greve, o sindicato justifica com o seguinte raciocínio: “A estatística que resulta da amostra significativa dos pilotos, que é a Assembleia que deliberou a greve, prova que a compreensão e a adesão dos pilotos a esta greve é de 90% das intenções expressas. A TAP tem 985 pilotos, dos quais 786 são sindicalizados. Entre os não sindicalizados acreditamos que iremos ter uma adesão a rondar os 60%. Na assembleia participaram cerca de 500 pilotos e, destes, votaram 420 da seguinte forma: 43 contra, 17 abstenções e 360 a favor”.

Em resposta a António Pires de Lima que pediu “sensibilidade” e “inteligência”, o SPAC afirma que “devolve ao senhor ministro o pedido humilde para que o Governo e a TAP honrem os compromissos que assumiram”.

 

  • Foto: Carlos Seabra

 

3 Comments

  1. Avatar

    Podia colocar as ações da TAP, nas bolsas, assim qualquer pessoa podia comprar. O povo de Portugal ajudando $$$$ ricos viajarem.

  2. Avatar

    SOU BRASILEIRO estou indo em lua de mel agora no dia 02 de maio para paris, com passeios ingressos tudo marcado com muito luta pois para mim é um sonho se realizando.
    Até o momento vocês estão destruindo sonhos de várias pessoas, eu particularmente após esse incidente NUNCA MAIS vou viajar pela TAP.

    • Avatar

      TAMBÉM SOU BRASILEIRO, VIAJEI MUITAS VEZES PELA TAP. TIVE QUE ADIAR MEU VOO PARA PORTUGAL DEVIDO À GREVE E…. VOU CONTINUAR VIAJANDO PELA TAP. ATÉ PORQUE, A GRAVE FOI UM FRACASSO E, COM CERTEZA, A TAP AGORA VAI PODER ENTRAR NUMA LINHA FIRME DE MELHORIA.

Responder a [email protected] Cancelar resposta

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica