Bem-vindo, !|Sair

Greve na TAP Portugal: 21 voos cancelados no Aeroporto Internacional de Lisboa

Dezenas de aviões da TAP Portugal estarão parados, hoje e na terça-feira, dia 2 de Dezembro, nos aeroportos portugueses, devido à greve dos tripulantes de cabina da companhia. Decretada pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) a paralisação compreende quatro dias, repartidos por dois períodos: o primeiro decorreu nos dias 30 de Outubro e 1 de Novembro passados e o segundo cumpre-se hoje e depois de amanhã, dias 30 de Novembro e 2 de Dezembro.

A greve, reivindica o SNPVAC, pretende exigir à companhia aérea portuguesa o cumprimento do acordo de empresa em vigor desde 2006. As conversações com a entidade patronal, tem referido o sindicato, resultaram sempre infrutíferas.

Na quinta-feira, fonte oficial da companhia aérea disse à Lusa que a TAP contactou a “larguíssima maioria dos passageiros” com voos marcados para hoje e terça-feira para reprogramarem as suas viagens e que encara a greve de dois dias com “absoluta tranquilidade”. No entanto, a mesma fonte assinalou que estão em causa prejuízos diários de cerca de cinco milhões de euros, além de se afetar a “reputação e imagem da TAP”.

Segundo a imprensa portuguesa, que cita dados divulgados pela agência noticiosa Lusa, vinte e um voos, entre partidas e chegadas, foram hoje, domingo, cancelados no Aeroporto de Lisboa em dia de greve dos tripulantes de cabine da TAP, segundo informação disponível no site da ANA – Aeroportos de Portugal e atualizada pela 01h00 da manhã.

Doze voos cancelados com origem em Lisboa destinavam-se a Faro, Porto, Belo Horizonte (Brasil), Hamburgo (Alemanha), Zurique (Suíça), Amesterdão (Holanda), Milão (Itália), Bruxelas (Bélgica) e Madrid (Espanha). Os nove voos que deveriam aterrar no Aeroporto da Portela eram provenientes de Bruxelas, Madeira, Porto e Faro.

 

 

Passageiros da TAP foram melhor protegidos nesta greve

O reduzido número de partidas e de voos com a indicação “cancelado” reflecte, de acordo com informações veiculadas pela TAP, o trabalho que fez no sentido de ‘proteger’ os passageiros que tinham voos reservados, por alteração das datas de viagem quer colocando-os em outras companhias, o que também significou ‘esvaziar’ o máximo de voos com risco de cancelamento pela greve, refere a propósito desta greve o portal de notícias de turismo e viagens ‘PressTUR’, que se edita em Lisboa.

Esta situação foi reconhecida, aliás, por um dos porta-vozes do SNPVAC, Nuno Fonseca, que em declaração citada ontem, sábado, pela agência Lusa dizia que “o impacto da greve] será mais reduzido uma vez que, tal como aconteceu durante o primeiro período de greve, a TAP fez um excelente trabalho na alteração dos voos e no recurso a outras companhias aéreas”.

No mesmo sentido se pronunciou um porta-voz da TAP, que em declaração citada pelo “Jornal de Negócios” afirmou que “depois da greve do início de Novembro (30 de Outubro e 1 de Novembro) tivemos mais tempo para preparar estes dois próximos dias de greve”.

A notícia refere que além do contacto com os passageiros no sentido de evitar que mantivessem as reservas para hoje e para o dia 2 de Dezembro, a TAP também bloqueou antecipadamente as reservas para esses dias, evitando assim que a paralisação tivesse mais impacto.

Dessa forma, na totalidade das ligações em todos os aeroportos em que opera, a TAP terá hoje menos de 300 voos, em grande parte realizados pela sua subsidiária PGA, que não está abrangida pela greve convocada pelo SNPVAC.

Além dessa acção de contacto directo com os passageiros, tanto da parte da companhia quanto das agências de viagens que vendem os seus bilhetes, a TAP tem mantido no seu website o aviso de que os passageiros podem alterar as reservas para amanhã e dia 2 de Dezembro “sem custos adicionais, dentro da mesma cabina e da validade do bilhete”.

Nesse aviso a TAP tem diz que “na impossibilidade de contacto” com os passageiros de voos nos dias da greve a companhia “reemitirá o bilhete para o voo com lugares disponíveis, cuja data e horário sejam o mais próximos do original”.

A informação também apresentava links para os passageiros consultarem o estado das suas reservas (para aceder clique aqui) e recomendava o check-in online “disponível a partir de 72 horas de antecedência do voo, podendo este tempo ser variável de acordo com o destino” (para aceder clique aqui).

 

Listagem dos voos incluídos nos ‘serviços m’inimos’ nos dias de greve

A informação da companhia também especificava os voos que irá efectuar ao abrigo dos “serviços mínimos” decretados pelo Tribunal Arbitral.

Hoje estão nesta situação o TP82 de São Paulo para Lisboa, o TP87 de Lisboa para São Paulo, o TP171 de Lisboa para a Madeira e Caracas, o TP174 de Caracas para Lisboa via Madeira, o TP281 de Lisboa para Maputo, o TP284 de Maputo para Lisboa, o TP1676 da Madeira para Lisboa, o TP1691 de Lisboa para a Madeira, o TP1827 de Lisboa para a Terceira, o TP1828 da Terceira para Lisboa, o TP1844 da Horta para Lisboa e o TP1845 de Lisboa para a Horta.

Além dessas ligações, a TAP indicou que estão confirmados os regressos do TP288 de Luanda para Lisboa, TP353 de Londres para Lisboa, TP371 de Londres para Lisboa, TP373 de Londres para a Madeira, TP447 de Paris para Lisboa, TP459 de Paris para o Porto, TP539 de Berlim para Lisboa, TP611 de Bruxelas para Lisboa, TP797 de Helsínquia para Lisboa, TP1225 de São Petersburgo para Lisboa, TP1247 de Talin para Lisboa, TP1480 de Dakar para Lisboa, TP1532 da Praia para Lisboa e TP1548 do Sal para Lisboa.

Na próxima terça-feira, 2 de Dezembro, os voos que se realizam como “serviços mínimos” são o TP74 do Rio de Janeiro para Lisboa, o TP82 de São Paulo para Lisboa, o TP87 de Lisboa para São Paulo, o TP281 de Lisboa para Maputo, o TP284 de Maputo para Lisboa, o TP1683 de Lisboa para a Madeira, o TP1686 da Madeira para Lisboa, o TP1821 de Lisboa para a Terceira, o TP1822 da Terceira para Lisboa, o TP1860 de Ponta Delgada para Lisboa e o TP1863 de Lisboa para Ponta Delgada.

Os regressos a Portugal confirmados para o dia 2 de Dezembro são o TP288 de Luanda para Lisboa, TP353 de Londres para Lisboa, TP371 de Londres para Lisboa, TP373 de Londres para a Madeira, TP447 de Paris para Lisboa, TP459 de Paris para o Porto, TP551 de Munique para Lisboa, TP567 de Hamburgo para Lisboa, TP573 de Frankfurt para Lisboa, TP611 de Bruxelas para Lisboa, TP573 de Copenhaga para Lisboa, TP929 de Zurique para Lisboa, TP959 de Genebra para Lisboa, TP1023 de Madrid para Lisboa, TP1049 de Barcelona para Lisboa, TP1480 de Dakar para Lisboa, TP1506 de Bamako para Lisboa, TP1528 de São Tomé e Accra para Lisboa, TP1532 da Praia para Lisboa e TP1548 do Sal para Lisboa.

 

 

Greve dos trabalhadores de ‘handling’ na segunda-feira, dia 1 de Dezembro

Por sua vez, os trabalhadores da SPdH (Groundforce), PORTWAY e empresas de trabalho temporário no ‘handling’ (assistência nos aeroportos), afetos ao Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (SITAVA), vão realizar uma greve de 24 horas na segunda-feira, dia 1 de Dezembro.

Uma paralisação que poderá afectar os voos que estão a ser feitos para a TAP pelas empresas contratadas, uma que pertence ao Grupo TAP, a PGA – Portugália e a White/OMNI que também opera aviões em voos da PGA feitos também para a TAP.

Os trabalhadores reivindicam a negociação e a criação de um contrato coletivo para o setor do ‘handling’, que abranja todos os trabalhadores, independentemente do operador.

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica