Bem-vindo, !|Sair

INE confirma que os aeroportos portugueses mantêm uma tendência crescente

O movimento de passageiros nos aeroportos portugueses aumentou 4,9% e o total de aeronaves aterradas subiu 1,5% em 2013, divulgou esta semana, em Lisboa, o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo o INE, no ano passado aterraram 149,6 mil aeronaves (147,4 mil em 2012), tendo sido movimentados 32,6 milhões de passageiros, mais 4,9% do que em 2012 e em linha com o “crescimento sustentado” dos últimos anos: +6,0% em 2010, +6,3% em 2011 e +1,2% em 2012.

Pelo contrário, os movimentos de carga e correio mantiveram a trajectória decrescente dos anos anteriores, respectivamente com menos 2,1% e menos 11,0%, refere o INE.

Segundo as estatísticas de transporte aéreo relativas a 2013, nesse ano as operações de tráfego internacional representaram 73,8% dos movimentos totais de tráfego comercial em 2013, dando continuidade aos aumentos que se vêm registando nos últimos anos (pesos de 70,8% em 2010, 71,5% em 2011 e 72,5% em 2012).

No ano passado, as empresas nacionais de transporte aéreo movimentaram mais 6,3% de passageiros, num total de 12,5 milhões de passageiros, 19,3% dos quais em tráfego nacional e 95,5% em tráfego regular.

No final de 2013, a frota aérea nacional de operadores de transporte comercial era de 218 aeronaves, mais oito aeronaves (+3,8%) do que no final de 2012.

Já o pessoal ao serviço para funções a bordo totalizou 5,4 mil efectivos (+1,5% que em 2012), dos quais dois mil são técnicos de bordo (comandantes e pilotos) e 3,4 mil comissários, hospedeiras e outro pessoal complementar de bordo.

No ano passado, eram 355 as linhas aéreas regulares exploradas para transporte de passageiros, com uma extensão total de 764,5 mil km (777,2 mil km em 2012), tendo-se registado 130,96 mil voos de transporte regular de passageiros (+0,7% face a 2012), correspondentes a cerca 217,4 mil milhões de km percorridos (+0,5%).

De acordo com o INE, a oferta de transporte regular traduziu-se em 37,6 mil milhões de lugares-km, aos quais corresponderam 29,7 mil milhões de passageiros-km, tendo resultado numa taxa de ocupação de 78,9% (37,7 mil milhões de lugares-km, 28,8 mil milhões de passageiros-km e 76,4%, respectivamente, em 2012).

De referir que as aeronaves operadas por companhias nacionais continuaram a reduzir o seu peso, passando de 55,7% em 2012 para 55,2% em 2013 face ao movimento total de aeronaves em tráfego comercial nacional e internacional.

Um resultado que contrasta com o aumento no número de passageiros transportados pelas companhias nacionais, superior ao aumento do movimento global nos aeroportos nacionais, em parte como resultado de operações de voo em países terceiros.

O Aeroporto de Lisboa concentrou 49,1% do movimento de passageiros e registou um incremento de 4,6% face ao número do ano anterior, enquanto o aeroporto do Porto assegurou o transporte de 19,5% dos passageiros (+5,3%) e em Faro movimentaram-se 18,3% dos passageiros (+5,4%).

Nas regiões autónomas da Madeira e dos Açores, considerando as infra-estruturas aeroportuárias mais relevantes, o INE reporta para o Funchal uma quota de 7,3% no movimento total de passageiros e um crescimento de 7,6% no mesmo indicador, enquanto Ponta Delgada concentrou 2,8% do movimento total de passageiros (+3,5%).

Em sentido inverso evoluiu o transporte de carga e correio por via aérea (com decréscimos de 2,1% e de 11,0% em 2013, respectivamente), em linha com o verificado nos anos anteriores e sobretudo notório na componente nacional da carga aérea, com diminuições do agregado de carga e correio de 9,3% no tráfego territorial e 10,0% no tráfego interior.

De acordo com o INE, o movimento de carga e correio distribuiu-se principalmente por Lisboa (68,3% do total), Porto (19,8%), Ponta Delgada (4,3%) e Funchal (4,0%).

Dos números divulgados ressalta uma sazonalidade mais marcante nos aeroportos de Faro e de Ponta Delgada, que concentraram uma maior quota dos movimentos no período de Maio a Outubro (75,4% e 65,3%, respectivamente), tendo-se os movimentos em Lisboa, Porto e Funchal distribuído “mais uniformemente” ao longo do ano.

As operações (aeronaves aterradas) de tráfego internacional mantiveram o crescimento em 2013, ano em que representaram 73,8% dos movimentos totais de tráfego comercial (pesos de 70,8% em 2010, 71,5% em 2011 e 72,5% em 2012).

Nos aeroportos de Porto, Lisboa e Faro o tráfego internacional representou, respectivamente, 81,4%, 86,1% e 91,9% do total, enquanto no Funchal e em Ponta Delgada se ficou pelos 44,2% e 17,4%.

 

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica