Limitação de lugares a bordo implicará um “aumento exponencial” das tarifas

José Lopes, diretor-geral da EasyJet para Portugal, considera que a limitação ao número de lugares nos aviões poderá pôr em causa a retoma do setor, pois fará subir “exponencialmente” os preços das passagens aéreas.

As declarações do responsável pela EasyJet em Portugal foram proferidas nesta quinta-feira, dia 23 de abril, numa conferência ‘online’ promovida pela consultora ‘Deloitte’ sobre o tema “Turismo covid-19: Preparar o futuro sobre responder à emergência, resistir ao impacto, preparar a retoma” e que contou com a presença da secretária de Estado do Turismo, Rita Marques.

Para José Lopes, o setor precisa de conhecer com a máxima antecedência o roadmap (roteiro) para um cenário de evolução positiva da doença em Portugal para se poder preparar, e para tal, a EasyJet precisará de “pelo menos 15 dias” para testes.

Entre os grandes entraves a estes testes, José Lopes referiu que “é necessário que deixe de existir quarentena regional de 14 dias a todos os passageiros que chegam à Madeira”.

Segundo o responsável, não poderá também haver limitações àquilo que designou por “conectividade”.

“Se tivermos a lançar operações com o número de lugares que estão disponíveis, como atualmente estão implementadas, a um terço da capacidade não será possível estimular o mercado, porque para operarmos em situações normais vamos ter que aumentar exponencialmente os preços e aquilo que é necessário neste momento é precisamente o contrário, é baixarmos os preços”, disse.

Segundo o responsável, terão que ser implementadas as necessárias medidas de segurança, como a utilização obrigatória de máscaras, que gerem confiança nos consumidores, “mas que não criem barreira à conectividade e ao custo de voar”.

Caso contrário, corre-se o risco de que voar “passe a ser um regresso ao passado, para algo de luxo e não algo acessível à grande maioria da população”.

 

 

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica