Bem-vindo, !|Sair

Polícia suíça confirma 20 mortos na queda do ‘Junkers Ju-52’ que fazia voo turístico

A opinião dos Profissionais. #1 Newsletter OUT2018


Dois acidentes aéreos registados na Suíça neste sábado, dia 4 de agosto, provocaram 24 mortos.

O acidente mais grave ocorreu com um avião ‘Junkers Ju-52/3m’ ao serviço da ‘Ju Air’, uma associação que tem três aviões deste modelo e que realiza aos sábados circuitos panorâmicos nos Alpes, com pilotos reformados ou voluntários. São aparelhos que estiveram antes ao serviço da Força Aérea Suíça e que foram construídos entre 1930 e 1950. A aeronave sinistrada tem a matrícula HB-HOT, foi construída em 1939, registando quase 80 anos de atividade. Não obstante o longo tempo de serviço trata-se de um aparelho que tem sido sempre sujeito a cuidadosas inspeções e substituição de peças, inclusive com algumas modernizações nos instrumentos de bordo. Tem três motores BMW 132-A, sendo um em cada asa e outro no nariz da aeronave.

O avião tem capacidade para transportar 17 passageiros, além dos dois pilotos e um mecânico. Tinha descolado, no início da tarde, do aeroporto de Locarno e dirigia-se à Base Aérea de Dubendorf, na região de Zurique, no regresso de um voo panorâmico. Despenhou-se cerca das 16h45 locais, em Piz Segnas, numa montanha com cerca de 2.540 metros de altitude, nos Alpes Glaroneses, cantão de Glarus.

Numa conferência de imprensa realizada neste domingo, pelas 13h00, em Locarno, a Polícia da Confederação Helvética, confirmou que não havia sobreviventes do acidente. Morreram todos os 20 ocupantes do avião – três tripulantes e 17 passageiros, a maioria com idades entre os 42 e os 84 anos. Na lista dos mortos estão 11 homens e nove mulheres. Há apenas três estrangeiros, um casl austríaco e um filho que é reportado como a única vítima jovem do grupo.

As autoridades suíças prometeram uma investigação cuidadosa ao acidente, que será bastante complexa, já que o avião, por ser um vintage, com 79 anos de serviço, não tinha ‘caixas negras’ a bordo. Outro facto que demorará as investigações é a falta de cobertura por radar e rádio das zonas montanhosas por onde voava o ‘Junkers Ju-52’.

Destroços do Junkers Ju-52/3m que caiu na montanha de Piz Segnas. Foto distribuída pela Polícia do Cantão de Glarus.

O Junker Ju-52 é um avião de transporte militar, construído na Alemanha, entre os anos 1932 e 1952. No total saíram de fábrica cerca de 5.000 aeronaves, a maior parte para colaborar no esforço das Forças Armadas da Alemanha na II Grande Guerra Mundial.



O avião que neste sábado caiu na Suíça foi construído em 1939 e foi entregue neste ano à Força Aérea Suíça, em cuja frota esteve até 1981.

A Ju Air foi constituída em 1983 com o propósito de preservar e voar em circuitos panorâmicos nos Alpes alguns aviões Junkers que foram adquiridos à Força Aérea do país. O HB-HOT passou a integrar a frota da associação em 1985. Nesta ocasião teve de ser constituída uma companhia para a exploração comercial dos circuitos aéreos, cujas receitas contribuíam para a manutenção das aeronaves. A base operacional era na base aérea de Dubendorf, resultante de um acordo com a Força Aérea Suíça.

Kurt Waldmeier, co-fundador da Ju AIr e diretor executivo da empresa de aviação, disse aos jornalistas que os aviões voavam “exclusivamente com pilotos de grande experiência profissional e que eram estritamente revistos e intervencionados pelos mecânicos da companhia”, igualmente profissionais com grande experiência neste tipo de aeronaves.

O avião sinistrado tinha 10.187 horas de voo e era inspecionado a cada 35 horas de voo. A última inspeção foi no final de julho. Não tinham conhecimento de quaisquer problemas técnicos com a aeronave.

Os dois pilotos que tripulavam o aparelho no momento do desastre tinham 62 e 63 anos de idade, ambos com larga experiência aos comandos de aviões Junkers Ju-52, além de uma larga carreira como pilotos militares na Força Aérea Suíça, e depois, em companhias aéreas comerciais.

A Ju Air oferecia circuitos turísticos com viagens de ida e volta a Locarno, com estada de uma noite em hotel, incluindo refeições. “Voos de aventura para pessoas que pretendem usufruir das maravilhosas paisagens suíças de bordo de aviões vintage”, assim resumia a Ju Air a propaganda das suas viagens, que, desde este sábado, estão suspensas.

 

Casal e dois filhos morrem noutro acidente com um avião ligeiro na Suíça

Num outro acidente que se verificou mais cedo, pelas 10h00 locais, morreram todos os quatro ocupantes de um avião ligeiro que caiu numa zona florestal em Hergiswil, no cantão de Nidwald, próxima do cidade de Lucerna, no centro da Suíça.

A queda da aeronave, um monomotor Socata TB-10 Tobago, matrícula HB-EZW,  provocou um incêndio florestal que levou as autoridades a deslocarem para o local, de muito difícil acesso por terra, uma equipa helitransportada de bombeiros que primeiro apagaram o fogo, antes de descerem no local, onde se depararam com o aparelho e os ocupantes totalmente calcinados.

Segundo informação do Ministério Público da Confederação Helvética foi aberto um inquérito oficial com a participação de diversas entidades para apurar as causas desta tragédia.

O avião tinha descolado do aeroporto de Kagiswill em direção a França com uma família (casal e duas crianças), informou a polícia do cantão de Nidwald.

 

 

  • Notícia atualizada às 18h30 UTC de domingo, dia 5 de agosto.




Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica