Quebra da Thomas Cook leva à falência mais quatro companhias aéreas

A história do Grupo Thomas Cook, dedicado às viagens e ao turismo, primeiro com os caminhos de ferro (ferrovias) e depois com os aviões, começou em 1841, quando foi fundada pelo empresário britânico Thomas Cook, que teve a visão de alugar um comboio para transportar um grupo de viajantes. Responsabilizou-se também pelas reservas dos hotéis e pelas deslocações durante a viagem. Assim nasceu o primeiro organizador de viagens, de férias, lazer ou negócios, um segmento da economia que cresceu bastante nas últimas décadas.

Em 2007 foi criado o Grupo Thomas Cook quando a empresa alemã Thomas Cook AG, já uma holding do grupo que se expandira na Alemanha com a aquisição do operador turístico Neckermann, se fundiu com o operador britânico MyTravel.

Essas fusões e a aquisição de outros operadores turísticos, nomeadamente no Centro e Norte da Europa, contribuíram para a consolidação do Grupo Thomas Cook, que passou a ser dono de outras companhias aéreas de menor dimensão que tinham sido criadas por esses operadores. Depois de uma reestruturação que decorreu desde o início desta década, as companhias agruparam-se por áreas de intervenção.

As Thomas Cook Airlines, com uma frota total que no final do mês passado atingia as 116 aeronaves de transporte de passageiros Airbus e Boeing, são quatro :

  • Thomas Cook Airlines UK, baseada no Reino Unido;
  • Condor, companhia do grupo baseada na Alemanha;
  • Thomas Cook Airlines Balearics, baseada em Palma de Maiorca /Baleares;
  • Thomas Cook Scandinavia, baseada no Norte da Europa.

  

Thomas Cook Airlines Belgium tinha sido vendida à Brussels Airlines em 2017

A Thomas Cook Airlines Belgium (TCAB), que encerrou em novembro de 2017, foi adquirida pela Brussels Airlines. A companhia de bandeira belga assumiu nos seus quadros os 160 pilotos e tripulantes de cabina que trabalhavam na companhia aérea do grupo de matriz britânica. Na frota acrescentou três aviões.

O negócio foi um grande alívio, em termos financeiros, para o operador turístico Thomas Cook Belgium, que ao mesmo tempo assegurou que o transporte dos seus clientes, que viajavam com pacotes comprados na Bélgica, seriam transportados em voos fretados à Brussels Airlines e noutros voos regulares desta companhia a preços negociados em cada temporada IATA (de seis em seis meses).

A TCAB já cooperava desde há 15 anos com a Brussels Airlines, companhia que pertence totalmente à Lufthansa. A integração foi fácil, segundo revelou na altura a imprensa belga. O negócio das duas empresas ficou totalmente integrado no final do ano de 2017.

 

  • Notícia corrigida às 09h15 UTC de 23 de setembro de 2019

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica