Queda de avião de passageiros no Sudão do Sul provoca 10 mortos

A queda de um avião da South Sudan Supreme Airlines, logo após a descolagem, no aeródromo de Pieri, na região de Uror, Estado de Jonglei, na República do Sudão do Sul, provocou a morte dos 10 ocupantes nesta terça-feira, dia 2 de março.

O aparelho fazia um voo fretado com destino à cidade de Yuai com oito passageiros e dois pilotos a bordo. Tinha descolado durante a manhã da cidade de Juba, capital do país.

A aeronave envolvida no acidente desta terça-feira, dia 2 de março, é um bimotor turboélice Let-L410 Turbolet, de fabrico checo, segundo o governador da região onde ocorreu. A companhia tem vários aparelhos deste modelo e também Antonov An-26. Contudo, por que nas redes sociais surgiram fotos que mostram destroços de um Antonov, possivelmente de um anterior acidente, foi lançada a confusão e a dúvida. Aguarda-se uma confirmação.

Por outro lado, a matrícula do avião acidentado (HK-4274) é atribuída ao registo da Colômbia. Através de uma procura mais atenta chega-se à conclusão que está atribuída a um helicóptero que voa na América Latina. O que é inexplicável.

O Sudão do Sul, na África Oriental, tornou-se independente em 2011, e nos últimos cinquenta anos o território tem sido afectado por uma guerra fratricida. No sector da aviação civil tem um dos piores registos mundiais e é recordista no continente africano em acidentes aéreos.

Devido à guerra, que não permite deslocações em segurança por via terrestre, deslocaram-se para o Sudão do Sul diversos aviões, a maioria com muitos anos de serviço, e oriundos de países da Europa de Leste, que aproveitam a oportunidade de transporte de pessoas e carga aérea, com grande demanda no país.

Nos últimos seis anos, o Sudão do Sul registou cerca de 20 acidentes/incidentes com aeronaves, o mais significativo dos quais foi a 4 de novembro de 2015, quando 41 pessoas morreram no acidente de um Antonov An-12 (EY-406) que se despenhou pouco depois da descolagem do aeroporto de Juba; e a de 9 de Setembro de 2018, mais 20 pessoas morreram na queda de um Let-L410 (UR-TWO) com mais de 25 anos de idade que se despenhou no Lago Yirol, na região central. Mais recentemente, em agosto de 2020, um avião de carga Antonov An-26 (EX-126) despenhou-se alguns minutos após a descolagem de Juba, matando sete das oito pessoas a bordo.

No entanto, em 2019, o Sudão do Sul tinha se comprometido a regulamentar o sector do transporte aéreo comercial. Na altura, o país anunciou uma proibição da operação de aviões de passageiros com mais de 20 anos de idade. Contudo, isso não tem acontecido, e segundo profissionais que visitam regularmente o país, continuam a chegar aviões sem certificação operacional atualizada e as manutenções técnicas são muito duvidosas.

 

  • Na imagem de abertura vemos um Let L-410 Turbolet da companhia South Sudan Supreme Airlines, semelhante ao que se despenhou em Pieri. Este tem registo do Sudão do Sul. Foto © David Osborn/Aeroprints.com

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica