Bem-vindo, !|Sair

‘Recovery team’ da TAM já trabalha no avião da TAP em Belém do Pará

Este slideshow necessita de JavaScript.

Uma equipa de técnicos especializados da companhia aérea brasileira TAM já se encontra no Aeroporto Internacional de Belém, onde procederá à transferência do avião Airbus A330-220 CS-TOJ da TAP Portugal que no passado domingo, dia 8 de Junho, saiu da pista quando se preparava para descolar com destino a Lisboa e ficou atascado com os três trens enterrados na lama, em posição lateral ao topo da pista, no enfiamento do ‘taxi way’.

O ‘recovery team’ da TAM é uma equipa composta por pessoal habilitado para lidar com situações deste género, em que seja necessário transferir um equipamento aéreo que não pode mover-se pelos seus próprios meios, nomeadamente em ocasiões resultantes de incidentes como este em que esteve envolvido o avião da TAP.

Só depois do avião ter sido colocado em sítio que não afecte o normal funcionamento do aeroporto, neste caso o de Belém do Pará, é que as equipas de vistoria e de manutenção da TAP, e eventualmente da Airbus se a avaria for considerada pesada, é que irão avaliar os prejuízos sofridos pelo aparelho e decidir sobre os procedimentos a tomar.

Sobre a equipa de resgate (‘recovery team’) da TAM

A equipa de resgate da TAM realizou um simulado anual nos passados dias 5 e 6 de Junho, no Aeroporto de Guarulhos (São Paulo) para remoção de aeronaves danificadas em solo. O exercício fez parte do processo de certificação da IATP (International Airliners Technical Pool), associação de cooperação que reúne empresas aéreas de todo o mundo.

Pelo acordo firmado com a entidade, todas as companhias associadas da IATP contam com o auxílio do equipamento e da equipa da TAM para resgates de aeronaves na América Latina. O serviço também está disponível para outras empresas aéreas e proprietários de aeronaves.

Trata-se de uma operação delicada e precisa, já que o deslocamento não deve avariar ainda mais o avião ou o aeroporto”, diz Carlos Croba, diretor de Manutenção da TAM. “Para que a operação seja realizada com sucesso, este grupo é submetido a um extenso processo selectivo que inclui avaliações físicas e psicológicas. A equipa passa por cursos de sobrevivência na selva e de marinha, além de ter realizado um treinamento específico em Hamburgo, na Alemanha”, completa o director.

O grupo, que foi formado em 2011, dispõe de um conjunto de equipamentos para remoção de aeronaves. Conhecido como ‘Recovery Kit’, ele é capaz de remover aeronaves com até 150 toneladas, a maior parte dos aviões operados atualmente. Somados os pesos do conjunto para remoção e das roupas e mochilas especiais que permitem o atendimento do ‘Recovery Team’, o peso total dos equipamentos é de 25 toneladas.

 

 

aviador_newsavia 

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica