Renamo exige encerramento dos aeroportos de Moçambique a voos internacionais

Com vista a conter o alastramento da pandemia de covid-19, o maior partido da oposição em Moçambique, a Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), insta o Governo a interditar voos internacionais no espaço aéreo local.

O presidente da Renamo, Ossufo Momade, explicou na manhã desta quinta-feira, dia 26 de março, em Maputo, que a medida visa evitar o aumento de número de cidadãos em quarentena no país, no âmbito da contenção do alastramento do vírus que já infectou até à data, sete pessoas, de um total de 98 testados e, obrigou 663 passageiros desembarcados na capital moçambicana a permanecerem em quarentena.

“Apelamos ao Governo para interditar os voos internacionais no espaço nacional, para evitar o aumento de número de cidadãos em quarentena”, disse Ossufo Momade aos jornalistas.

A advertência do maior partido da oposição  de Moçambique acontece após o Presidente deste país de língua oficial portuguesa, Filipe Nyusi, comunicar, em meados do corrente mês, que o Governo estava a estudar a possibilidade de cancelar voos de ou para países mais afectados pela pandemia.

Conforme o ‘NewsAvia’ noticiou no passado dia 14 de março, o Presidente moçambicano explicou que o Governo estava a analisar o impacto do cancelamento de voos internacionais no País. Contudo, Nyusi não precisou quando o Executivo iria terminar de realizar o estudo.

De entre vários países, Portugal poderá ser um dos países afetados, em caso das autoridades moçambicanas se decidirem pelos cancelamentos. Todavia, desde o início de cancelamentos de voos internacionais em diferentes países do mundo, com destaque para as de língua portuguesa, a TAP Air Portugal tem estado a garantir o transporte de cidadãos portugueses (e não só) para Lisboa.

 

  • Texto: Evaristo Fernando Chilingue, especial para o ‘Newsavia’.
  • Mais notícias sobre a pandemia do Novo Coronavírus/Covid-19 – LINK

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica