Bem-vindo, !|Sair

SATA prevê para este ano prejuízos iguais ou superiores aos de 2017

O presidente da SATA estimou, esta terça-feira, que o grupo aéreo açoriano termine 2018 com “prejuízos similares ou ligeiramente superiores aos de 2017”, mas adiantou que a empresa pretende concluir a definição da reestruturação financeira em novembro.

“A nossa estimativa para 2018 ao nível dos prejuízos é similar a 2017 ou ligeiramente superior e, conforme o plano para 2019, estamos convictos que os prejuízos irão reduzir em 50 ou mais por cento para que, a partir de 2020, se continue a fazer essa redução e então, em 2021, atingir o objetivo de obter um lucro operacional”, afirmou António Teixeira, em declarações aos jornalistas, veiculadas pela agência noticiosa portuguesa ‘Lusa’.

O presidente da SATA falava, na cidade de Ponta Delgada, ilha de São Miguel (Açores) após uma audição de mais de quatro horas, na Comissão Eventual de Inquérito ao Setor Público Empresarial Regional e Associações Sem fins Lucrativos Públicas.

O responsável já tinha sido ouvido em sede da mesma comissão a 13 de setembro, voltando esta terça-feira ao parlamento, numa inquirição requerida pelo PS.

O grupo SATA apresentou em 2017 um prejuízo de 41 milhões de euros.

Frisando que “a viabilização é possível”, o presidente da SATA, referiu aos deputados que, “em 2018, os prejuízos serão ligeiramente superiores aos de 2017”.

Aos jornalistas, António Teixeira acrescentou ainda que é a Azores Airlines que está “a contribuir mais” para o prejuízo da empresa, acrescentando que “as causas são as mesmas que em 2017”.

O presidente da SATA disse, no entanto, que o grupo estima “ter concluída a definição da reestruturação financeira em novembro”.

“Estão a ser tomadas todas as medidas possíveis em conjunto com o acionista (o Governo dos Açores) no sentido de obter um financiamento para resolver os principais problemas a nível de tesouraria e estamos a trabalhar neste momento com a urgência possível para que, durante o mês de novembro, esta situação fique resolvida”, explicou, sem especificar para já qual o montante deste empréstimo.

António Teixeira sustentou que o objetivo “é criar liquidez à SATA para que, depois deste reequilíbrio financeiro”, se possa “conseguir trabalhar intensivamente na eficiência ao nível operacional e a reestruturação e verticalização da organização”.

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica