Seis meses depois E190 da Air Astana ainda está retido no Aeroporto de Beja

O avião Embraer E190 da Air Astana, companhia aérea nacional do Cazaquistão, que aterrou de emergência em Beja em novembro passado, devido a uma grave avaria, após descolar de Alverca do Ribatejo, no final de uma revisão técnica nas oficinas da OGMA — Indústria Aeronáutica de Portugal, ainda se encontra na Base Aérea de Beja à espera da conclusão do processo.

Marco Tulio Pellegrini, presidente da OGMA, disse à agência de notícias portuguesa ‘Lusa’ que tem havido reuniões frequentes com o Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF), mas que ainda não qualquer solução para o problema que mantém o avião parado há mais de seis meses em Portugal.

“Não podemos comentar nada relativo a esse evento até à publicação do relatório final”, afirmou Marco Pellegrini, adiantando que “a OGMA tem colaborado bastante na investigação com os órgãos da autoridade e de investigação”.

Em 11 de novembro de 2018, o avião da Air Astana aterrou no aeroporto de Beja após ter declarado emergência (LINK notícia relacionada). A bordo seguiam apenas os dois pilotos e dois técnicos da companhia casaquistã, que acompanhavam a viagem para a Bielorrússia.

Na ocasião, fonte aeronáutica disse à agência ‘Lusa’ que o avião sofreu uma “falha crítica nos sistemas de navegação e controlo de voo”.

O voo KZR 1388 descolou de Alverca às 13h21 e tinha como destino Minsk, capital da Bielorrússia. Segundo a mesma fonte, o avião esteve a fazer manutenção nas oficinas da OGMA – Indústria Aeronáutica de Portugal antes do incidente.

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica