Sevenair surpreendida com anúncio do Governo de Cabo Verde

A administração do grupo português Sevenair diz que mantém interesse em colaborar com o Governo da República de Cabo Verde, admitindo a aquisição do antigo avião Dornier 228 militar, embora assuma surpresa pelo anúncio do executivo sobre o negócio anterior (LINK notícia relacionada).

Em causa está o anúncio feito na quarta-feira, dia 8 de julho, pelo Governo cabo-verdiano de que já não vai trocar o antigo avião Dornier 228 da Guarda Costeira por dois aviões CASA, negócio acertado com a Sevenair em 2018, optando pela sua venda e compra de outro aparelho. Uma notícia que foi divulgada pela agência ‘Lusa’.

“O grupo Sevenair acaba de ser informado via ‘Lusa’ da decisão do Governo de Cabo Verde relativa à aquisição de uma nova aeronave para prestação de diversos serviços de interesse público”, afirmou Alexandre Alves, diretor comercial do grupo português à agência lusitana de notícias.

O responsável da Sevenair acrescentou: “De facto, as aeronaves CASA C212 por motivos de demora de disponibilidade, relacionados com a própria Airbus, tinham sido colocadas de parte ou pelo menos em avaliação juntamente com outras possibilidades, sendo que uma delas era até a aquisição da aeronave Dornier propriedade da Guarda Costeira por parte da Sevenair, numa permuta pela aeronave Jetstream, que durante um ano operou em Cabo Verde [em evacuações médicas], com comprovado sucesso”.

Segundo Alexandre Alves, o grupo Sevenair “tem aguardado a decisão do Governo” sobre esta matéria, acrescentando que “nos contactos feitos ao longo do tempo foi sempre passada a informação de que estariam a ser analisados diferentes cenários”.

“O grupo Sevenair mantém o interesse em colaborar com o Governo de Cabo Verde, da forma que este o entender, seja na aquisição da sua aeronave Dornier, na ajuda técnica na aquisição de uma nova aeronave, na formação de técnicos qualificados, ou mesmo numa eventual parceria para aquisição e operação dessa aeronave, no que poderia ser uma parceria público-privada”, explicou ainda.

Contudo, admitiu, face a este anúncio do Governo: “Fomos um pouco surpreendidos por não termos sido contactados antes da notícia ser pública, dada a excelente relação que temos com os órgãos governamentais, mas consideramos que terão decidido em função do que julgaram ser o melhor cenário e mantemos todo o interesse e disponibilidade para continuar uma colaboração que muito prezamos, na forma que se julgar mais útil”.

A proposta do Orçamento Retificativo para este ano conta com uma dotação específica de 600 milhões de escudos (5,5 milhões de euros) para a aquisição de um “avião para emergências”, através do Ministério da Defesa (Guarda Costeira), para garantir, nomeadamente, as evacuações médicas entre as ilhas, atualmente feitas por voos comerciais.

A Sevenair assinou em julho de 2018 um acordo com o Governo de Cabo Verde para a troca de um avião Dornier 228 da Guarda Costeira cabo-verdiana por dois CASA C212 Aviocar, propriedade deste grupo português de aviação.

Os dois aviões militares destinavam-se, entre outras operações da Guarda Costeira, ao transporte de doentes entre as ilhas cabo-verdianas, mas permaneciam, no final de 2019, em processo de operacionalização, com sucessivos atrasos na entrega, segundo declarou o governante cabo-verdiano.

 

  • Na imagem de entrada vemos a aeronave Jetstream 32 que esteve durante um ano ao serviço do Governo de Cabo Verde e que a Sevenair até admitiu poder negociar com esta país africano num pacote que integraria a aquisição da Dornier 228 da Guarda Costeira por parte da empresa portuguesa. Foto © Paulo Brito/Movimentos Porto Santo.

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica