TACV pretende voar com três aviões até 2023 que poderão ser alugados pela TAAG

A TACV/Cabo Verde Airlines já colocou à venda bilhetes para os voos regulares de abril até julho, após várias semanas sem programação disponível aos clientes além do corrente mês de março, confirmou à agência portuguesa de notícias ‘Lusa’ uma fonte da companhia.

“Confirmamos que os voos já estão disponíveis no sistema até julho e que a companhia planeia ter a programação de Verão IATA [até final de outubro de 2022] no sistema até à próxima semana”, referiu na semana passada uma fonte oficial da TACV.

Há várias semanas que clientes contestavam publicamente a impossibilidade de aquisição de bilhetes para voos a partir de Abril, inviabilizando o planeamento antecipado de viagens através da companhia aérea de bandeira – da Praia e das ilhas do Sal e de São Vicente, semanalmente, para Lisboa –, desde logo no período de férias da Páscoa, no próximo mês.

Conforme consulta feita pela ‘Lusa’ ao sistema da TACV, os voos previstos a partir de abril já serão realizados, segundo a informação disponível, com o Boeing 737-700 alugado à TAAG – Linhas Aéreas de Angola.

A companhia aérea cabo-verdiana transportou mais de 3.100 passageiros desde que retomou os voos, em dezembro passado, e prevê negociar o aluguer de mais duas aeronaves à congénere angolana.

“Tendo em conta o período em quem estamos, um período de época baixa, consideramos que é um número razoável de passageiros transportados nestas 11 semanas, desde o início das operações”, afirmou à ‘Lusa’ Sara Pires, presidente do conselho de administração da TACV.

A TACV retomou as operações, depois de renacionalizada, no final de dezembro passado, ao fim de 21 meses sem atividade devido às restrições internacionais impostas com a pandemia de covid-19, inicialmente com um voo entre a as cidades da Praia e de Lisboa, em Portugal.

Posteriormente, a companhia alargou essas rotas semanais para a capital portuguesa também a partir das ilhas de São Vicente e depois do Sal, e prevê a retoma dos voos para Boston (Estados Unidos da América) em “meados de julho”.

Na segunda-feira, no âmbito da visita de Estado a Cabo Verde do Presidente da República de Angola, João Lourenço, as administrações das duas companhias aéreas estatais TACV e TAAG assinaram um acordo para o fornecimento, em regime de ‘leasing’, de um primeiro Boeing 737-700 da transportadora angolana à companhia cabo-verdiana, que chegou no mesmo dia ao aeroporto internacional da Praia.

“Em termos do nosso plano de retoma e estabilização prevemos até final de 2023 estar a operar com três aparelhos, portanto estamos abertos a toda a cooperação que a TAAG poderá estar interessada. Até 2023 são três aparelhos, mas o mercado ditará o número exato de aviões que a TACV irá necessitar”, acrescentou Sara Pires.

“Num momento inicial foi esta aeronave. Nós temos necessidade de mais aeronaves, portanto, iremos iniciar um processo de negociação para a chegada de novos aparelhos”, disse ainda.

De acordo com informação da TAAG, a companhia angolana opera vários Boeing 737 com capacidade para 120 passageiros, essencialmente nas rotas domésticas, que está a substituir nalgumas dessas rotas por seis Dash 8-400 turbo hélice.

Desde a retoma dos voos em Dezembro, a TACV operava com um Boeing 757-200ER em regime de ‘leasing’, que segundo o Governo cabo-verdiano tem “problemas de ‘performance’”, tendo em conta os 188 lugares para uma ocupação média dos voos da companhia que ronda os 100 passageiros.

“Vai ser devolvido. O contrato termina a 30 de março, no seu percurso normal vai regressar à sua base”, disse a administradora.

A TACV foi privatizada em 2019, com a venda de 51% do capital social a investidores islandeses, e renacionalizada em julho de 2021 por decisão do Governo, na sequência da pandemia de covid-19.

 

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica