Bem-vindo, !|Sair

TAP recria ambiente dos anos 60 e 70 entre Lisboa e a Madeira – com vídeo

A TAP Air Portugal realizou no passado sábado, dia 2 de junho, o primeiro voo retro entre dois aeroportos nacionais, correspondendo desta forma a uma solicitação do Governo Regional da Madeira de integrar o evento no programa de comemorações dos 600 anos do Descobrimento da Madeira e do Porto Santo.

Os voos retro da TAP, que tiveram início no ano passado com uma ligação entre Lisboa e Toronto (Canadá), são feitos com o Airbus A330-300, matrícula CS-TOV, batizado com o nome ‘Portugal’, e que enverga o esquema de cores, logotipo e lettering da companhia aérea portuguesa, que recria o ambiente vivido a bordo nas décadas de 60 e de 70 do século passado.

O voo TP1671 partiu de Lisboa às 10h55 e aterrou na Madeira às 12h16, com lotação praticamente completa. No sentido oposto, mantendo também o ambiente retro a bordo, o TP1682 saiu da Madeira pelas 13h36 e voltou a aterrar em Lisboa às 14h57, também com lotação esgotada.

Os dois voos feitos pela TAP constituíram um sucesso para a companhia, já que se registou grande adesão de clientes, tendo muitos deles marcaram a viagem propositadamente para viajarem nos dois voos comemorativos feitos com no avião e no ambiente retro da empresa aérea portuguesa.

A TAP transportou nas duas ligações, mais de meio milhar de passageiros numa viagem ao passado, recuperando as emblemáticas fardas dos tripulantes, criadas pelo estilista francês Louis Féraud e recriando o ambiente das viagens de avião do passado, com alguns detalhes da época como a célebre mala necessaire que a TAP distribuía a bordo e que foi oferecida neste voo TP1671 a todos os passageiros.

Os produtos regionais da Madeira marcaram presença nestes voos especiais, no âmbito de uma parceria com a Associação de Promoção da Madeira e alguns produtores locais.

Os voos decorreram com bom tempo e toda a assistência aos passageiros, quer em Lisboa, quer na ilha da Madeira, foi inspirada na antiga imagem da companhia. Mesmo o nome do aeroporto que hoje se denomina ‘Aeroporto da Madeira – Cristiano Ronaldo’ voltou a ser ‘Aeroporto do Funchal’, designação que tinha no século passado, antes das últimas ampliações da estrutura aeroportuária, no início do corrente século, em que passou a denominar-se ‘Aeroporto da Madeira’, embora mantenha o código FNC, herdado da antiga denominação e que não será alterada. A pedido das autoridades portuguesas, por sugestão do Governo Regional, a IATA e a ICAO passaram a denominar o destino Madeira em vez de Funchal, uma mudança que tem custado a entrar, pois foram muitos anos a habituar as pessoas com o nome da capital da ilha, embora seja uma cidade que se situa a cerca de 25 quilómetros do local onde está implantado o aeroporto.

O comandante Luís Esteves, diretor de Operações de Voo da TAP, foi o comandante em serviço no cockpit, nos dois voos, acompanhado pelo jovem co-piloto António Sousa, nascido na Madeira, que assim regressou à ilha onde nasceu e começou a voar no monomotor do aero-clube local, agora como profissional no cockpit de um dos maiores aviões da companhia aérea portuguesa.

Luís Esteves, falando aos jornalistas que acompanharam esta viagem para a Madeira, assegurou a segurança da operacionalidade dos Airbus A330 na ilha, bem como de todos os aviões presentemente ao serviço da companhia aérea lusitana. Com um aeroporto de características especiais, pois está situado entre montanhas num recorte no litoral da ilha, a Madeira tem sido muito falada nos últimos meses pelos frequentes constrangimentos criados pelos ventos fortes e cruzados sobre a única pista de aterragem da ilha. Uma situação também muito frequente nos aeroportos das ilhas das Canárias e que se agrava na Madeira pelo facto dos limites operacionais serem mandatórios em vez de recomendados. Contudo, o diretor de operações de voo da TAP diz que a companhia tem adaptado a sua operação a esses factores que, por vezes, condicionam a atividade, recuperando a regularidade das operações, em diversas vezes, com a introduçãoo de aviões maiores, caso dos A330 versões 200 e 300, na rota da Madeira.

Está presentemente em curso a análise da situação por parte das entidades reguladoras. A TAP aguarda as resoluções que serão tomadas, e garante que acima de tudo coloca a segurança como pilar de toda a sua operação, não só para a Madeira, como para todos os aeroportos onde opera.

 

Na chegada à Madeira a tripulação da TAP foi saudada por representantes do Governo Regional da Madeira e, também, surpreendida pela presença do presidente executivo da companhia aérea, Antonoaldo Neves, que se encontrava de férias na ilha, que visitou pela primeira vez, e que aos jornalistas manifestou a sua satisfação pela realização destes voos, e também pelos contatos formais e particulares com membros do Governo Regional da Madeira, com quem há muito a conversar e que na opinião do vice-presidente regional, Pedro Calado, há agora uma nova etapa de relacionamento, em vias de concretizar algumas das mais importantes reivindicações da população madeirense.

 

  • LINK para vídeo da TAP Air Portugal sobre o voo retro da companhia entre Lisboa e a ilha da Madeira

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica