TAP repatria mais de mil portugueses de países lusófonos em África

A TAP Air Portugal vai realizar nesta quarta-feira, dia 25 de março, um voo de Luanda para Lisboa, segundo informação do consulado de Portugal na capital angolana, que recomenda aos interessados que entrem em contacto com a companhia aérea.

A informação foi veiculada num email dirigido a um dos portugueses que se inscreveram para apoio para regressarem a Portugal, depois de Angola fechar as suas fronteiras à circulação de pessoas no dia 20 de Março, para tentar evitar a entrada de casos importados de covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus.

No email, a que a agência de notícias portuguesa ‘Lusa’ teve acesso, o consulado informa que a TAP irá voar na quarta-feira de manhã para Portugal, estando igualmente “a ser estudadas outras possibilidades de transporte aéreo”.

Vários cidadãos portugueses conseguiram regressar a Portugal já depois do encerramento de fronteiras, através de voos especiais da transportadora angolana TAAG e de dois voos fretados à companhia portuguesa Euro Atlantic Airways por empresas portuguesas, estes especificamente para repatriamento dos seus funcionários.

Angola anunciou os dois primeiros casos de infeção pelo novo coronavírus, no sábado, já depois da entrada em vigor da suspensão de fronteiras, que irá durar, pelo menos, 15 dias.

A TAP Air Portugal realizou na segunda-feira, dia 23, um voo de resgate entre Maputo, capital de Moçambique, e Lisboa. Nesta terça-feira, estão previstos mais dois voos especiais das ilhas do Sal e de Santiago (Cidade da Praia), na República de Cabo Verde, para Lisboa, que permitirá o regresso de turistas portugueses que se encontravam de férias.

Na quarta-feira, dia 25, haverá duas viagens para transportar portugueses que estão na Guiné-Bissau e em São Tomé e Príncipe.

 

Mais de um milhar de portugueses repatriados de países africanos de língua portuguesa

Num comunicado distribuído na tarde desta terça-feira, a TAP Air Portugal diz que “em estreita articulação com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, conseguiu garantir todas as condições, operacionais e de segurança,  para poder realizar um conjunto de voos extra, que têm por objetivo trazer de volta a casa e às  suas famílias mais de mil portugueses que se encontram em Cabo Verde, Guiné Bissau, S. Tomé e Príncipe e Angola.

Estes voos estão a realizar-se em condições operacionais atípicas, motivadas pelas diversas restrições impostas por governos e autoridades, mas ultrapassadas pela TAP acautelando todos os requisitos legais e regulamentares no que respeita a segurança dos voos, tripulações e passageiros.

A realização deste voos “implica também um empenho e sentido de missão dos tripulantes da TAP que têm demonstrado a sua disponibilidade para tornar possível esta missão na linha da frente, apoiados por centenas de colaboradores TAP que, na retaguarda viabilizam estes voos extraordinários”, diz o comunicado de imprensa da companhia aérea portuguesa.

 

Micro site para voos extraordinários da TAP nos países com comunidades portuguesas

A TAP,  em colaboração com as embaixadas dos países com expressivas comunidades de cidadãos portugueses, criou mecanismos de inscrição online para auscultar as necessidades dos cidadãos e avaliar a possibilidade de realizar voos extra, que decorrerão sempre das autorizações dos respetivos países. Existe um link disponibilizado às embaixadas destes países e um microsite, disponível em flytap.com, para Brasil, Portugal e Moçambique.

 

Restrições sanitárias e aeroportuárias nos países africanos de expressão oficial portuguesa

  • Angola

Não é permitida a entrada de passageiros e tripulantes de companhias aéreas oriundas da República Popular da China, França, Irão, Itália, República da Coreia do Sul, Portugal ou Espanha. Residentes de Angola, tripulantes de companhias aéreas e nacionais angolanos que cheguem ou tenham estado nos países atrás referidos serão colocados em quarentena durante 14 dias.

De modo a viabilizar esta rota, no contexto atual, cumprindo todos os requisitos regulamentares de segurança e tempos de descanso das tripulações, a TAP voará Lisboa-Luanda e Luanda-Faro-Lisboa, trocado a tripulação em Faro e assegurando que as tripulações não ficam de quarentena em Luanda, conforme prescrito pelas autoridades angolanas. Segue para Luanda um A330-900 com capacidade de trazer 289 passageiros.

  • Cabo Verde

O Governo da República de Cabo Verde implementou restrições aos voos oriundos de Portugal, de outros países europeus com focos epidemiológicos Covid-19, do Brasil, EUA, Senegal e Nigéria. Considerando que os tempos de voo o permitem, a TAP realizará voos de ida e volta.  Para Praia voará com um Airbus A321 com 216 lugares e para o Sal com um Airbus A330-900, com capacidade para transportar 289 passageiros

  • São Tomé e Príncipe

Foi proibida a entrada no País de todos os cidadãos estrangeiros. Os cidadãos nacionais e estrangeiros residentes que regressem à República Democrática de São Tomé e Príncipe serão sujeitos a quarentena domiciliária obrigatória. Considerando que os tempos de voo o permitem a TAP realizará  voos de ida e volta. Segue para São Tomé  um Airbus A321 LR com capacidade para 178 passageiros.

  • Guiné Bissau

Foi decretado o fecho de fronteiras, incluindo o espaço aéreo. Considerando que os tempos de voo o permitem a TAP realizará voos de ida e volta entre Lisboa e Bissau num Airbus A321.

  • Moçambique 


Ainda que o espaço aéreo se mantenha aberto, todos os vistos de e para Moçambique foram cancelados. É determinada quarentena obrigatória a todos os viajantes, incluíndo tripulações. O voo da TAP realizado na segunda-feira, dia 24 de março, foi anterior à entrada em vigor destas restrições.

 

  • Foto © Rui Fernandes
  • Notícia atualizada às 17h00 UTC de 24 de março de 2020
  • Mais notícias sobre a pandemia do Novo Coronavírus/Covid-19 – LINK

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica