Tentativa de desvio de B737-800 da Biman resulta na morte do sequestrador

Forças especiais do Exército, da Força Aérea e da Marinha do Bangladesh retiraram de bordo de um avião Boeing 737-800 da companhia nacional Biman – Bangladesh Airlines, um homem de 25 anos que sequestrou a tripulação do avião utilizando uma pistola. O avião estava estacionado no Aeroporto Internacional Shah Amanat, em Chittagong, onde tinha aterrado de emergência na tarde deste domingo, dia 24 de fevereiro.

De acordo com fontes oficiais o suspeito de sequestro, natural e residente no País, foi dominado através da força, tendo os operacionais respondido com armas letais, depois daquele ter disparado alguns tiros no interior do avião. O suspeito tornou-se muito agressivo e relutante face às propostas de negociação que lhe foram dadas pelas autoridades policiais.

Durante uma conferência de imprensa que decorreu após a operação dos ‘comandos’ das Forças Armadas do Bangladesh, o major-general Motiur Rahman, do Exército do Bangladesh, confirmou a morte do terrorista ocorrida durante o transporte para um hospital de Chittagong.

O terrorista, como foi tratado pelas forças de segurança, dava evidentes sinais de transtorno mental, quando abordado pela polícia, tendo pedido para falar com a esposa e com o primeiro-ministro do País.

A situação agravou-se com as ameaças e a agressividade demonstradas, resultando em tão infeliz desenlace. Antes da conferência de imprensa, e quando o suspeito era levado pela polícia, um porta-voz das forças de segurança disse que tinha sido detido, mas como estava ferido seria levado a um hospital.

Nesta imagem vemos os passageiros a desceram da asa por uma escada móvel do aeroporto. Na foto de abertura são visíveis sobre a asa aguardando a chegada da escada.

Muhammad Mafidur Rahman, vice-marechal da Força Aérea do Bangladesh, que dirigiu a operação, disse aos jornalistas que todos os ocupantes do aparelho – 142 passageiros e sete tripulantes – saíram do avião e estão ilesos. A operação do comando militar demorou apenas oito minutos.

O aeroporto esteve encerrado até às 20h00 locais (14h00 UTC) altura em que reabriu ao tráfego regular. O avião da Biman, que entrou novo ao serviço da empresa no final do ano de 2015, foi retirado para uma zona mais recatado do aeroporto, onde será sujeito a diversas perícias.

O avião, um Boeing 737-800, matrícula S2-AHV, tinha descolado de Daca, capital do Bangladesh, pelas 16h35 locais (10h35 UTC) com destino ao Aeroporto Internacional do Dubai, nos Emirados Árabes Unidos (voo BG147). Cerca de 40 minutos depois a tripulação de cabina comunicou ao comandante que um dos passageiros [o sequestrador] dava indícios de “comportamento suspeito”, que se agravou quando sob ameaça de arma tentou abrir a porta que dá acesso ao cockpit. Informado da ocorrência, o comandante decidiu solicitar uma aterragem de emergência no Aeroporto Internacional Shah Amanat, em Chittagong, a cerca de 240 quilómetros a sudeste da cidade de Daca, onde pousou pelas 17h40 locais (11h40 UTC). Não ficou claro se essa teria sido uma exigência do ‘pirata do ar’.

Os passageiros instruídos pela tripulação e com o apoio de militares saíram, após o pouso da aeronave, pelas janelas de emergência junto das asas, sobre as quais esperaram a colocação de escadas móveis que permitiram a sua descida para a pista, enquanto na frente do avião a polícia tentava negociar com o sequestrador.

 

  • Notícia corrigida e atualizada às 18h10 UTC
  • Fotos © TWITTER Sidhant Sibal/@Sindhant

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica