TICV satisfeita com a reabertura dos voos internacionais em Cabo Verde

A companhia aérea TICV – Transportes Interilhas de Cabo Verde (ex-Binter CV)) considera que a reabertura do País a voos internacionais comerciais, um novo impulso ao movimento doméstico.

A transportadora cabo-verdiana está confiante que os efeitos desta reabertura que aconteceu desde o dia 12 de outubro, tenha efeitos ainda este ano, e refere em comunicado que foi com “entusiasmo” que receberam a notícia da abertura do País a voos internacionais, “aumentando as expectativas da TICV de que o movimento doméstico ganhe novo impulso até ao final do ano”.

Segundo Marina Ferreira, diretora comercial da companhia aérea de Cabo Verde, depois de mais de três meses e meio de ligações internas suspensas, por decisão das autoridades cabo-verdianas, para conter a progressão da pandemia de covid-19, a TICV retomou a 15 de julho, os voos domésticos, “registando um crescimento progressivo” no número de passageiros transportados desde então.

Contudo, conforme a mesma fonte, o movimento de passageiros permanece “significativamente abaixo” dos níveis anteriores à pandemia de covid-19, nomeadamente devido à suspensão das ligações aéreas internacionais regulares, desde a segunda quinzena de março e até o dia 12 de outubro.

A reabertura do tráfego internacional é uma boa notícia, dado que “tem um peso significativo na operação da companhia”. No ano passado a TICV (então Binter CV) teve uma ocupação de cerca de 40% dos seus lugares gerada por passageiros oriundos de e para voos internacionais.

“Nota-se um crescimento, lento, da procura, que está ligado à ainda falta de turistas e ao atual panorama económico que o país e o mundo atravessam”, reconheceu Marina Ferreira, que acrescenta que esse aumento, esperado, do número de passageiros, provocará, também, “o natural aumento de oferta por parte da TICV, assim como opção de ligações a voos de outras companhias internacionais que estão a operar no momento”.

Entretanto, a transportadora reconhece que já se regista “alguns sinais positivos”, apesar de conjuntura global menos positiva, nomeadamente “face ao movimento ainda muito abaixo do ocorrido em meses análogos”.

“Verifica-se, no entanto, que a confiança dos passageiros têm aumentado a cada dia e que os procedimentos como uso de máscara em todas as áreas dos aeroportos, o controle sanitário à entrada dos aeroportos, o distanciamento social assim como higienização e etiqueta respiratória já se tornaram processos habituais, o que traz maior agilidade no tratamento de passageiros e bagagens nos aeroportos, minimizando os constrangimentos pontuais que ocorreram no reinício das operações a 15 de Julho”, sublinhou a diretora comercial da TICV.

A companhia, que há um ano assinalou um milhão de passageiros transportados em Cabo Verde, assegurava, antes da pandemia, as ligações aéreas de passageiros para sete ilhas do arquipélago, com nove rotas diferentes, operadas por três aviões turboélices ATR-72 500, com capacidade para 72 passageiros, operação que tem sido progressivamente recuperada desde 15 de julho, confirma a TICV.

 

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica