Três pilotos lituanos atravessam a Europa em voo à vela – Destino final é Portugal

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

Três pilotos da Lituânia estão preparados para iniciar nesta sexta-feira, dia 11 de agosto, uma viagem em aviões planadores sem motor, tendo como ponto de chegada a costa portuguesa. Voarão cerca de quatro mil quilómetros em 10 dias.

O desafio que se coloca a estes pilotos lituanos, é a comemoração do 90º aniversário do primeiro voo de travessia do Atlântico, pelos pilotos compatriotas Darius e Girėnas

Esta travessia é o maior desafio até à data: chegar ao Oceano Atlântico ao largo da costa de Portugal em planadores e tornarem-se os primeiros na Europa a atravessar o velho continente sem motor. Em Espanha, planeiam fazer quatro paragens: o aeródromo de La Cerdanya (Girona), o aeródromo de Santa Cilia (Jaca), o aeródromo de Garay (Sória) e o aeródromo de Fuentemilanos (Segóvia).

Algirdas Šimoliūnas, Sakalas Uždavinys e Ignas Bitinaitis, os três pilotos envolvidos neste desafio, vão descolar na sexta-feira, dia 11 de agosto, dando início ao ‘Planar pela Europa: Lituânia-Portugal’, a travessia organizada pelo projeto ‘Laikas kilt’, fundado em 2016 pelo piloto de planadores Algirdas Šimoliūnas e pela sua esposa Ieva Šimoliūnienė. O objetivo desta iniciativa é promover a aviação ligeira e desportiva, com especial destaque para o planador. Este é o terceiro grande desafio para os três pilotos, que atravessaram os países bálticos em 2016 e para outro que fez a travessia do Mar Báltico ao Mar Negro (Ucrânia), em 2018.

 

Porquê Portugal?

Este voo é comemorativo do 90º aniversário da travessia do Atlântico pelos pilotos lituanos Darius e Girenas (1933). Além disso, Portugal é o país europeu mais distante da Lituânia, o que gera muita expectativa entre os pilotos e torna este desafio um feito nunca antes alcançado. Ou, pelo menos, não há registo oficial de tal conquista.

Šimoliūnas, o capitão da equipa, mostra-se entusiasmado: “Voar para Portugal é o nosso maior desafio até à data. Pessoalmente, quero voar pela Europa, pelos diferentes países, pelas suas culturas e, assim, inspirar liberdade e coragem a mim próprio e a todos os lituanos. Os voos de planador de longa distância na Europa não são, de modo geral, um fenómeno comum. Os planadores fazem normalmente uma rota e regressam ao mesmo aeródromo de onde descolaram. Estamos a preparar este voo desde o inverno. Vamos voar por toda a Europa e não sabemos a rota exata, porque o local que vamos sobrevoar vai depender das condições meteorológicas. Por isso, estamos em contacto com cerca de 40 aeródromos na Polónia, Alemanha, França, Espanha e Portugal, embora na rota final não haja tantas paragens. Durante o voo, tudo está condicionado pelas condições meteorológicas, pelo que temos de estar preparados para tudo, não apenas para o Plano A e o Plano B”, explica o experiente piloto.

 

As condições climatéricas determinam a rota

A rota de voo planeada passa por seis países (Lituânia, Polónia, Alemanha, França, Espanha e, por fim, Portugal), 4.000 quilómetros e vai durar 10 dias. Pode, porém, sofrer alterações durante a viagem, consoante as condições climatéricas e as necessidades que surjam ao longo do percurso.

Os preparativos que antecedem a descolagem são muito importantes, pois é necessário confirmar com os responsáveis dos aeródromos o plano de rota e que estes dispõem de condições e materiais essenciais para este tipo de voo, tais como uma aeronave que possa puxar os planadores, uma pista com o comprimento adequado e um recinto com condições gerais específicas.

Além dos aviões, uma equipa em terra vai seguir o trajeto dos planadores, em automóvel, enquanto atravessam a Europa. Esta equipa é constituída por oito pessoas: a chefe de equipa, Ieva Šimoliūnienė, técnicos de apoio e técnicos de comunicação.

“Para aqueles que não voam diariamente em zonas internacionais, coordenar os planos de voo será um desafio. Terāo de ser coordenados todos os dias, preenchendo os dados do voo através da aplicação. O plano é normalmente confirmado no espaço de uma hora. Por isso, se o enviarmos às 10 horas da manhã, provavelmente estaremos prontos para descolar ao meio-dia”, explica Šimoliūnas.

Há muitos desafios que podem surgir durante o voo, pelo que o piloto sublinha que o mais importante é ser paciente. “Antes do voo, é preciso pensar em todos os pormenores, nos diferentes cenários possíveis e ser paciente e coerente durante todo o trajeto”, sublinha o líder do projeto.

 

Acompanhe este desafio nas redes sociais

Todos os interessados em seguir o desafio durante os dias em que decorre podem fazê-lo através do Facebook e Instagram, na conta Laikaski.lt: https://www.facebook.com/laikaski.lt e https://www.instagram.com/laikaski.lt/.

 

  • Na imagem de abertura vemos os pilotos lituanos que a partir desta sexta-feira, dia 11 de agosto, estarão nos céus da Europa a caminho de Portugal. Da esquerda para a direita: Ignas Bitinaitis (26 anos), Sakalas Uždavinys (60 anos) e Algirdas Šimoliūnas (36 anos).

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

Embraer vende seis aviões A-29 Super Tucano à Força Aérea Paraguaia

A Embraer anunciou nesta terça-feira, dia 23 de julho,...

Ryanair contesta “monopólio” da ANA e ameaça abandonar as rotas da Madeira

O Grupo Ryanair apelou à ANA – Aeroportos de...

Qatar Airways eleva ‘Melhor Classe Executiva do Mundo’ a novos patamares

A Qatar Airways apresentou nesta semana no ‘Farnborough International...