Voos diretos de Lisboa para a China aumentam frequências e tarifas

A rota direta da Beijing Capital Airlines entre Portugal e a República Popular da China vai passar a ter duas frequências semanais, a partir deste mês, noticia nesta segunda-feira, dia 19 de setembro, a agência noticiosa portuguesa que cita uma fonte da companhia aérea chinesa. Aumentam as frequências e as tarifas, diz a notícia da ‘Lusa’.

Os voos diretos entre os dois países partem de Lisboa, com destino a Hangzhou, a capital da província de Zhejiang, uma das mais prósperas da China, com cerca de 53 milhões de habitantes, situada na costa leste do país asiático.

O voo realizava-se apenas aos sábados. A partir da próxima semana vai realizar-se também às quartas-feiras.

A ligação sofreu as consequências das medidas de prevenção adotadas pela China contra a covid-19. Desde 2020 que se realizava apenas uma vez por semana, originalmente com destino a Xian, no centro da China.

As autoridades de Xian suspenderam a ligação com Lisboa em 25 de dezembro de 2021, numa altura em que a cidade enfrentava um surto de covid-19, e só retomaram o voo em 12 de junho passado.

A companhia aérea optou então por voar para Hangzhou.

Ao abrigo da estratégia de “zero casos” de covid-19, a China mantém as fronteiras praticamente encerradas desde março de 2020. Quem chega à China tem de cumprir ainda uma quarentena de sete dias, em instalações designadas pelo Governo, e mais três em casa.

Os voos para a China estão também sujeitos à política circuit breaker (interruptor, em português), em que quando são detetados cinco ou mais casos a bordo, a ligação é suspensa por uma semana. Caso haja dez ou mais casos, a ligação é suspensa por duas semanas.

A escassez de voos para o país asiático resultou numa subida acentuada dos preços: um bilhete em classe económica para o voo Lisboa-Hangzhou, só de ida, custa quase 3.000 euros, segundo refere a ‘Lusa’.

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica