Ampliação do terminal sul do aeroporto de Lisboa está em apreciação ambiental, esclarece a ANA

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

A ANA – Aeroportos de Portugal já avançou com o projeto para ampliação do terminal sul do aeroporto de Lisboa (Terminal 2), que se encontra em análise pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA).

“A ANA reafirma o seu compromisso na realização dos projetos úteis ao bom funcionamento do Aeroporto de Lisboa, tendo já avançado com o projeto de ampliação do terminal sul e criação de nova placa de estacionamento”, afirmou a gestora aeroportuária da Vinci, em resposta escrita à agência portuguesa de notícias ‘Lusa’.

De acordo com a empresa, este projeto visa “acrescentar melhoria operacional, qualidade de serviço e desempenho ambiental” e encontra-se em apreciação ambiental pela APA.

Na quinta-feira, dia 28 de dezembro, foi publicada em ‘Diário da República’ uma resolução do Conselho de Ministros que dá à ANA quatro meses para apresentar projetos para o cumprimento das obrigações específicas de desenvolvimento no Aeroporto Humberto Delgado (AHD), em Lisboa, cujas obras têm de estar concluídas até 2027.

Segundo a ANA, esta resolução, que entrou em vigor nesta sexta-feira, dia 29, “decorre de conversações com o Governo desde há uns anos sobre a priorização dos investimentos” naquela infraestrutura.

Questionada pela ‘Lusa’, a gestora aeroportuária disse que “recebe positivamente o esclarecimento do concedente sobre essa priorização assim como, de forma mais abrangente, sua orientação para as soluções de curto prazo no atual aeroporto enquanto não se define a solução para a expansão da capacidade aeroportuária”.

Em 7 de dezembro, o Conselho de Ministros aprovou uma resolução que determina à ANA que execute investimentos no Aeroporto Humberto Delgado, com vista a mitigar os constrangimentos operacionais e de conforto dos passageiros.

Na ocasião, o secretário de Estado Adjunto e das Infraestruturas, Frederico Francisco, apontou que “o Governo não está a obrigar a ANA a fazer nada que ela não estivesse já obrigada a fazer, no entendimento do concedente [Estado] e do regulador [ANAC]”.

O governante lembrou ainda que, por forma a dar à ANA condições para executar os investimentos com o mínimo de perturbações possível, está prevista a desafetação de uso militar do aeródromo de Figo Maduro, anexo ao aeroporto de Lisboa, mas condicionada ao início de um investimento no ‘Pier Sul’.

Na resolução refere-se que, desde o início do contrato com o Estado, a ANA “mais do que duplicou o volume de negócio e quase quadruplicou o EBITDA [lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização]”, porém, “o volume acumulado de investimentos, ao invés de acompanhar a evolução da procura e da rentabilidade da concessão, está 18,9% abaixo do previsto pela VINCI na privatização”.

Foto de abertura © ANA – Aeroportos de Portugal

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

Ryanair anuncia rota sazonal entre Cracóvia (Polónia) e o Algarve, a partir do dia 1 de abril

A Ryanair anunciou o reforço das suas operações nos...

TAP apresenta novo stand na BTL, reforça rede de longo curso e renova parcerias

 A TAP Air Portugal estreou este ano um novo...

TAP reforça operação para Brasil e América do Norte – Total de 193 voos semanais

A TAP Air Portugal anunciou nesta quinta-feira, dia 29...

Lucro líquido do grupo Air France-KLM atinge 934 milhões de euros em 2023

O grupo Air France-KLM anunciou nesta quinta-feira, dia 29...