Autarca de Beja defende ampliação do terminal do aeroporto local para apoiar o de Lisboa

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

O presidente da Câmara de Beja, Paulo Arsénio, defendeu serem necessárias obras de ampliação do aeroporto local, para que este possa apoiar Lisboa e receber mais voos, até estar pronto o futuro Aeroporto Luís de Camões.

Questionado pela agência de notícias ‘Lusa’ sobre o anúncio do Governo Português de aprovar a construção do novo aeroporto da região de Lisboa (NAL) no Campo de Tiro de Alcochete, o autarca de Beja, cidade alentejana, no sul do País, defendeu que esta decisão é uma oportunidade para obras na infraestrutura aeroportuária alentejana.

“Se, nos próximos anos, o Governo e a Vinci [proprietária da ANA – Aeroportos de Portugal] avançarem para a ampliação da placa de estacionamento e da aerogare, o Aeroporto de Beja pode receber muitos mais voos de passageiros”, defendeu o autarca neste sábado, dia 18 de maio.

E este acréscimo do número de voos de passageiros, a existirem as obras de ampliação, seria válido para “os próximos anos e até [para] depois do aeroporto em Alcochete estar construído”, sublinhou o autarca.

Segundo o eleito, “o Aeroporto de Beja tem uma vocação iminentemente industrial e comercial, mas pode servir também alguns voos civis” e apoiar o atual Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa.

No entanto, frisou, a placa de estacionamento da infraestrutura “é relativamente pequena” e “tem voos ‘VIP/premium’ permanentemente estacionados, assim como aeronaves que vão entrar no hangar de reparação da [empresa de manutenção aeronáutica] MESA”.

A par disso, a aerogare “tem uma capacidade de processamento de apenas 250 passageiros por hora de entrada e de 250 passageiros de saída”.

Ou seja, atualmente, com o Aeroporto de Beja “a funcionar na sua capacidade máxima”, só há a possibilidade de “apenas um avião descolar e outro aterrar, por hora”, observou.

Para Paulo Arsénio, “seria importante que o concessionário”, a ANA, “ampliasse a placa de estacionamento e que a aerogare também fosse ampliada”.

Sobre a localização do futuro aeroporto, o presidente da Câmara de Beja frisou não ter “qualquer comentário” a fazer, até porque a opção recaiu naquela que foi a conclusão da Comissão Técnica Independente (CTI).

O Governo “optou por escolher Alcochete e legitimamente o fez. Provavelmente, seria o que qualquer outro governo da República de qualquer outro partido faria, em função do aprofundado estudo de todas as localizações [que foi efetuado] para acolher a alternativa ao aeroporto principal de Lisboa”, disse.

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

Sevenair Academy vai treinar pilotos cadetes nórdicos nas suas instalações em Ponte de Sor

A Sevenair Academy, escola portuguesa de pilotos e técnicos...

Governo de Angola contrata empresa britânica para elaborar o Plano Diretor da nova ‘Aerotropolis de Luanda’

A empresa britânica ‘Foster + Partners’ foi contratada pelo...

GOL apresenta “o mió da roça” em avião temático do Chico Bento 

Inspirada no personagem Chico Bento, a GOL Linhas Aéreas...

Centro Digital de Aviação em Portugal acelera a transformação digital e a inovação na TAP

‘Tata Consultancy Services’ estabelece um centro de excelência em...