Azul Cargo Express assinala 11 anos e reclama liderança do mercado no Brasil

A Azul Cargo Express completa neste mês 11 anos de serviços no Brasil. “E, mesmo em um ano desafiador, marcado pela pandemia do novo coronavírus, a unidade de cargas da Azul comemora bons resultados e muitas conquistas, ocupando a liderança do mercado de cargas no País”, anunciou a companhia aérea em comunicado de imprensa.

Com um modelo de negócios de encomendas expressas e entregas porta a porta, a Azul Cargo Express apresentou um crescimento de 36% em receita no primeiro trimestre de 2020 na comparação com o mesmo período de 2019. Nestes meses que impuseram algumas dificuldades às operações aéreas, principalmente logísticas, a empresa conseguiu se destacar e se reinventar, utilizando os assentos e compartimentos superiores de aviões de passageiros para transportar cargas, por exemplo.

E os esforços mostraram resultados: apesar da redução dramática da malha no período, a Azul Cargo manteve a sua receita estável, apenas 0,8% menor no segundo trimestre de 2020 em comparação ao mesmo período do ano passado, mesmo com a redução de 83% na capacidade comparativamente ao mesmo período anterior. A companhia espera, ainda, um aumento recorde na faturação e volume de cargas no terceiro trimestre de 2020, principalmente com o crescimento do transporte para as empresas de vendas por internet neste período.

 

Cabinas de passageiros adaptadas para transporte de carga

De olho na demanda pelo transporte de cargas e com menos trânsito de passageiros, a Azul Cargo conseguiu autorização junto da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) para adaptar alguns aviões de passageiros e passou a utilizar toda a cabina das aeronaves Airbus A320 e A330 para o transporte de cargas, e não apenas os porões da aeronave. Com isso, a empresa expandiu a sua capacidade em 30%.

No primeiro voo, que saiu de Campinas (Estado de São Paulo) com destino à Belém (Pará), um A320neo com as cores da Azul, transportou sete toneladas de carga. Além dos porões, os assentos, as bagageiras e o espaço por debaixo das poltronas dos aviões foram usados para acomodar carga, com o objetivo de continuar carregando suprimentos para as cidades e Estados do Brasil face à pandemia, nomeadamente medicamentos e equipamentos hospitalares.

Em meio à situação de emergência sanitária, a Azul Cargo realizou operações até então inéditas para a história da companhia e, pela primeira vez, pousou uma aeronave do outro lado do mundo, em uma operação logística complexa. Ao todo, foram realizados cinco voos para a China que trouxeram para o Brasil e para alguns outros países da América Latina 20 toneladas de respiradores, 4,8 milhões de testes rápidos e 15 toneladas de equipamentos de testagem para ajudar no combate à pandemia da covid-19.

 

Novos aviões para melhor servir as cidades do interior do Brasil

Diante da importância do seu negócio para o Brasil, a Azul Cargo adiciona novos aviões à sua frota. Fazendo história, mais uma vez, a companhia voará com o primeiro Embraer E-Jet cargueiro do mundo, com capacidade para transportar até 6,6 toneladas. Além disso, a empresa conta, a partir do lançamento da nova marca Azul Conecta, com uma aeronave Cessna Gran Caravan que foi totalmente revista e adaptada para operações cargueiras, com capacidade de até 850 quilogramas, fortalecendo as operações com a Azul Cargo Conecta e ampliando ainda mais a capilaridade da sua malha.

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica