Bem-vindo, !|Sair

Companhias aéreas acusam França de infringir leis comunitárias

MailAvia - Aviação Civil na Lusofonia


O Grupo IAG, que controla a British Airways,a Iberia, a Aer Lingus, a Vueleing e a Iberia Express, e as companhias europeias de baixo custo EasyJet, Ryanair e Wizz Air queixaram-se junto da Comissão Europeia, em Bruxelas, contra a França, alegando que este país está a restringir o princípio fundamental da liberdade de circulação dentro do espaço da União Europeia (UE).

O que motiva a queixa são as constantes greves dos controladores de tráfego aéreo franceses, cujas paralisações provocam constrangimentos importantes no tráfego de aviões e de passageiros, além de vultuosos prejuízos nas empresas aéreas e aeroportuárias.

As companhias aéreas não pretendem questionar o direito de greve, mas acreditam que a França está a infringir as leis da UE ao não permitir voos em todo o país durante as greves.

Até agora, as greves dos controladores de tráfego aéreo franceses aumentaram 300% em relação a 2017.

Segundo a Eurocontrol, mais de 16.000 voos foram adiados até junho deste ano devido a greves do ATC, afectando mais de dois milhões de passageiros.

No verão passado, a Comissão Europeia informou que, desde 2005, ocorreram cerca de 357 greves de ATC na Europa. Isso é o equivalente a mais de dois dias de greve por cada mês nos últimos 13 anos em apreço.

 




1 Comments

  1. Alguém deveria informar quanto ganha um controlador, quanto horas trabalha efetivas por mês, quantos tem que obrigatoriamente descansar e em que idade irá ser reformado, depois veremos se as greves que fazem são justas ou não. Que eu saiba tem dentro dos turnos de trabalho, máximo de minutos de trabalho seguido e descansos intercalares, será justo, mas também posso pensar que um cirurgião deveria descansar a cada 60 minutos e por vezes tem que operar várias horas, que um polícia em vigília tem que trabalhar 8 ou mais horas sem descanso. O que é justo ou injusto?

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica