Fim dos cortes salariais na TAP pode ser antecipado com novos acordos de empresa

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

O ministro português das Infraestruturas disse que o fim dos cortes salariais aplicados a trabalhadores da TAP, no âmbito da reestruturação, pode ser antecipado pela substituição por novos acordos de empresa, ou quando a companhia der lucro.

“Os trabalhadores continuam a ser os mais prejudicados? É a mais pura das verdades. Estão a trabalhar muito e têm corte salarial muito significativo num momento particularmente difícil e nenhum de nós ousa escamotear isso. A questão é que nós estamos com uma empresa que esteve à beira de fechar, está a recuperar mais rapidamente mas ainda dá prejuízo, aumentar os custos laborais é aumentar o prejuízo”, começou por explicar o ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, que foi ouvido na quarta-feira, dia 19 de outubro, no parlamento, em Lisboa, numa comissão parlamentar sobre a privatização da TAP e sobre o caso dos contratos com entidades públicas celebrados pela empresa do pai, na qual tem uma participação de 0,5%.

O governante respondia a questões, das deputadas Paula Santos (Partido Comunista Português) e Mariana Mortágua (Bloco de Esquerda), sobre os cortes salariais que continuam a ser aplicados a trabalhadores da TAP, apesar de a empresa estar a recuperar mais rápido do que o previsto.

“Há outra via que os sindicatos conhecem”, prosseguiu o ministro, “que é conseguirmos fazer a revisão dos acordos de empresa e substituirmos os acordos de empresa. […] O seu fim [dos cortes] pode ser antecipado pela substituição por novos acordos de empresa, ou então quando a TAP conseguir dar resultado positivo e possamos ter margem para iniciar a reposição dos cortes”.

O plano de reestruturação da TAP prevê que a companhia aérea comece a dar lucro em 2025 e previa um resultado operacional positivo em 2023, algo que a empresa já atingiu no primeiro semestre do ano.

Questionado sobre o modo como a privatização da TAP será feita, que o ministro chama de “abertura de capital”, Pedro Nuno Santos voltou a dizer que o processo ainda não foi iniciado, pelo que não pode adiantar detalhes, mas explicou que será feita uma avaliação “independente” dos 3.200 milhões de euros que o Estado injetou na companhia.

“Há um conjunto de matérias que foram elencando aqui que são passíveis de ser garantidas num processo de negociação”, acrescentou o ministro, que foi questionado sobre a situação dos trabalhadores, no caso de uma privatização.

 

  • Notícia publicada pelo ‘Jornal de Notícias’ na quarta-feira, dia 19 de outubro de 2022

 

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

TAP Air Portugal retomou rota direta entre a Venezuela e a ilha da Madeira

– Cerimónia oficial e decoração a preceito na zona...

TAP Air Portugal terá 95 voos semanais para o Brasil no mês de julho

Uma delegação da TAP Air Portugal, liderada pelo seu...

Teste de táxi aéreo elétrico pode definir novo tipo de transporte para peregrinos do Hajj, na Arábia Saudita

Num movimento histórico, a Arábia Saudita conduziu com sucesso...