Moçambique Expresso retoma operações após acordo com a Embraer

A Moçambique Expresso (Mex), subsidiária da companhia aérea estatal LAM – Linhas Aéreas de Moçambique, confirmou nesta quarta-feira, dia 13 de setembro, a retoma imediata das operações, que envolvem voos domésticos e regionais, duas semanas após a suspensão, depois de acordado um plano de pagamento de uma dívida à fábrica de aviões brasileira Embraer.

Numa comunicação interna, com data desta quarta-feira, assinada pelo diretor-geral da companhia, Faustino Massitela, e à qual a agência de notícias portuguesa ‘Lusa’ teve acesso, é confirmado que a Mex está em condições de garantir o “restabelecimento das operações normais com efeitos imediatos”.

Na origem da decisão está um entendimento com a construtora brasileira Embraer para o pagamento, em 17 prestações, até janeiro de 2025, de uma dívida de 1,167 milhões de dólares (1,1 milhões de euros), conforme termos do acordo a que a ‘Lusa’ teve acesso.

Com a aplicação deste acordo, o diretor-geral da Mex refere que as áreas técnica e de operações da companhia “confirmaram” que voltaram a ter acesso à plataforma FlyEmbraer na noite de terça-feira, necessária para a gestão da frota, pelo que “estão sanadas as causas que levaram à decisão da suspensão das operações”, em 31 de agosto.

Segundo informação da companhia, a Mex opera três aeronaves do tipo Embraer 145 para vários destinos no país e na região, nomeadamente ao serviço da LAM, que enfrenta fortes dificuldades financeiras que em abril levaram o Governo a colocá-la sob gestão da empresa sul-africana Fly Modern Ark (FMA).

“Para além de prover a LAM com aviões de médio porte para o cumprimento do horário LAM, a Mex faz assistência em terra e diversos outros serviços (…) De todos estes serviços, a Mex recebe apenas o equivalente a 200.000 dólares, valor que é usado para pagar uma parte dos salários do pessoal”, lê-se numa outra comunicação, de 29 de junho último, assinada por Faustino Massitela, que a ‘Lusa’ noticiou anteriormente.

“A não canalização dos valores à Mex coloca a empresa em situação de falta de liquidez para honrar os seus compromissos com fornecedores, colocando a empresa em risco de fechar portas”, acrescenta-se.

A mesma carta alertava que desde 1 de junho que se regista por parte da LAM “uma redução substancial na utilização da frota Mex, o que compromete a capacidade desta de gerar receita para suportar os seus custos, para além de subutilização dos recursos financeiros disponíveis” e que “tem vindo a acumular dívidas com fornecedores”, como a Embraer.

“É nossa opinião que a LAM e MEX, envolvendo a FMA, devem encontrar uma solução urgente para as situações aqui referidas. A não resolução destes assuntos colocam a Mex em situação de parar as operações a qualquer momento”, alertava, na mesma carta, o diretor-geral, algo que se concretizou em 31 de agosto.

Uma das dívidas à Embraer, de 1.167.309,89 dólares (cerca de 1,1 milhão de euros), a companhia reconhece numa outra comunicação, enviada em 14 de novembro à empresa brasileira, referente à aquisição da frota ERJ145. A Mex chegou a propor à Embraer pagar 50% nessa dívida, no início deste ano, de 583.654,95 dólares (550 mil euros). Sem resolução desta dívida, a direção da Mex reconhecia já então que o diferendo “impede de receber ou solicitar qualquer serviço ou apoio técnico da Embraer”.

A empresa Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) reduziu a sua dívida em 61,6 milhões de dólares (57 milhões de euros), desde abril, e continua em recuperação, avançou Sérgio Matos, representante da FMA.

Quando a FMA assumiu a gestão da companhia aérea estatal em abril, a LAM tinha uma dívida estimada em cerca de 300 milhões de dólares (277,7 milhões de euros), de acordo com dados fornecidos na altura.

Nos últimos três meses, a empresa registou um aumento de 24% no número de passageiros transportados, para mais de 56 mil, e subiu a receita de voos em 10%, para 671 milhões de meticais (quase 10 milhões de euros).

 

  • Texto da autoria da agência portuguesa de notícias ‘Lusa’

 

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica