Saudia rescinde com a Hi Fly por ter levado um A330-300 à revisão em Israel

A companhia aérea da Arábia Saudita rescindiu o contrato de aluguer de dois aviões de longo curso com a companhia de aviação portuguesa Hi Fly, por esta ter levado um Airbus A330 que ostentava o logotipo da Saudia – Saudi Arabian Airlines para fazer uma revisão técnica periódica em território israelita.

A imprensa israelita refere-se nas duas edições de domingo a este incidente e, nomeadamente, o jornal ‘Times of Israel’ que é publicado em Inglês e em Francês, dá grande destaque à matéria. Este jornal diz que a Saudia, companhia aérea que propriedade do Governo da Arábia Saudita, ficou surpreendida com a atitude da companhia portuguesa, sobretudo pelo fato de que a Hi Fly ao decidir levar o avião a uma revisão numa oficina de manutenção israelita está a levar a aeronave para um país com o qual o contratante árabe não tem relações diplomáticas e, por isso, não pode acompanhar a revisão. Diz a Saudia que no contrato a companhia árabe reserva-se o direito de acompanhar as revisões periódicas dos aparelhos da Hi Fly, enquanto estes estiverem alugados.

O avião (matrícula portuguesa CS-TMT) chegou na quarta-feira passada ao Aeroporto Ben Gurion, em Telavive, onde estava a ser submetido a uma revisão técnica. O fato de ter sido fotografado e filmado num dos estacionamentos do aeroporto, por sinal numa posição facilmente visível, alertou as autoridades árabes que confirmaram a presença do avião português, que tem na sua fuselagem o logótipo e o lettering da Saudia, em Israel. Desde 1947 que um avião comercial da Arábia Saudita não pousava num aeroporto israelita. O avião não é propriedade da companhia árabe, mas o fato de mostrar as cores da Saudia e de estar ao serviço da companhia, “foi considerado como sendo um avião comercial da Arábia Saudita”, refere a imprensa de Telavive.

A agência noticiosa portuguesa Lusa refere num despacho de Lisboa, distribuído ao fim da tarde de domingo, dia 10 de Maio, que fontes do sector aeronáutico confirmaram o pedido de cancelamento do contrato com a Hi Fly – que fornece aviões com tripulação, manutenção e seguros incluídos -, empresa que tinha actualmente dois aviões ao serviço da Saudia, os quais ostentavam a cor e o logótipo desta companhia do Médio Oriente.

“Esta situação causou um problema político e diplomático, com vários países do Médio Oriente a pressionarem e a questionarem a companhia aérea saudita sobre o sucedido”, salienta uma fonte aeronáutica contactada pela Lusa, que acrescenta que a Saudia já notificou a Hi Fly da sua intenção de rescindir o contrato, alegando a violação da cláusula que determina que é proibido aterrar aviões seus em países com quem a Arábia Saudita não mantém relações bilaterais, o que acontece com Israel. Este avião, assim que acabar a manutenção em Telavive, vai regressar a Portugal, à semelhança do segundo avião que a Hi Fly tinha a voar com base na Arábia Saudita e que já está em Lisboa.

A Lusa refere que tentou contactar a Hi Fly, mas até ao domingo, dia 10 de Maio, não foi possível. Uma nota da companhia aérea saudita, citada pela SPA, esclarece que “a empresa [portuguesa] tinha um contrato para fornecer transporte aéreo comercial para a Saudi Arabian. O avião estava fora de serviço e sob a gestão da holding (Hi Fly) no momento em que deixou a Arábia Saudita, a 3 de Maio, com destino a Bruxelas, Bélgica, para uma manutenção de rotina”.

A Saudia sustenta que a Hi Fly tinha a obrigação contratual de a informar dos países e dos locais onde decorriam as manutenções dos aviões alugados à companhia portuguesa.

 

  • Foto de entrada é da autoria de Pedro MPB/Flying Photo Magazine News, Lisboa

 

Tweet de um residente em Telavive que mostra o avião sobre a pista no aeroporto israelita, na quarta-feira, dia 6 de Maio, após a chegada:

Hi Fly A330 Saudia BenGurion tweet

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica