TAP e Portugália recorrem a empresa externa para rebocar aviões, diz o SITEMA

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

O SITEMA – Sindicato dos Técnicos de Manutenção de Aeronaves aponta que a TAP Air Portugal e a Portugália Airlines, companhias subsidiárias da TAP SA, estão a subcontratar o reboque das suas aeronaves dentro do Aeroporto Humberto Delgado/ Lisboa à empresa ‘Brok-Air’.

Num comunicado distribuído nesta segunda-feira, dia 27 de fevereiro, o SITEMA informa que desde o passado dia 22, os reboques de posicionamento para a operação das frotas TAP e PGA passaram a ser realizados por trabalhadores dessa empresa.

O SITEMA entende que exista uma escassez de técnicos de manutenção para assegurar as operações diariamente, derivado de várias situações, nomeadamente, no passado mais recente, derivado às paragens e dispensas de pessoal durante a pandemia de covid-19.

No entanto, o SITEMA não pode concordar com o aumento da subcontratação que tem sido levado a cabo, mesmo que para tarefas que se possa considerar requerer menos qualificações. O sindicato entende também que o continuado recurso à subcontratação externa poderá interferir no processo de retenção dos técnicos nas respetivas companhias.

Para Jorge Alves, presidente do Sindicato dos Técnicos de Manutenção de Aeronaves, “o impacto do recurso a uma subcontratação numa empresa deve ser gerido de forma transparente e sensível, envolvendo todos os intervenientes. Só demonstrando que o recurso faz parte da solução, é que se consegue mobilizar as equipas. De outra forma, vai criar entropia internamente e dificultar a retenção, que se resolve em parte com um novo Acordo de Empresa, que aproxime os TMA das condições praticadas pelo mercado”, adianta.

O SITEMA alerta ainda para a importância de uma célere valorização da carreira dos TMA, no sentido de estancar ou, pelo menos, reduzir a saída destes técnicos, que continuam a partir em busca de condições incomparavelmente mais atrativas na concorrência. Por outro lado, “a reintegração dos técnicos envolvidos no injusto processo de despedimento coletivo, não só é a ação mais justa para os trabalhadores, mas também essencial para a própria empresa, na medida em que padece de forma tão vincada com a falta de técnicos experientes”, explica o comunicado distribuído pelo SITEMA em Lisboa.

 

  • Foto de abertura © João Chaves

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

Pilotos da TACV – Cabo Verde Airlines marcam greve de cinco dias entre 25 e 29 de abril

O Sindicato Nacional dos Pilotos da Aviação Civil (SNPAC)...

Luís Rodrigues completa primeiro ano à frente da TAP marcado por lucro recorde

O presidente da TAP, Luís Rodrigues, completa neste domingo,...

Presidente da SATA demitiu-se por falta de “condições” para continuar o “projeto proposto”

A Comissão de Trabalhadores da companhia aérea portuguesa Azores...

FAP terminou missão de patrulhamento no Golfo da Guiné em cooperação com países lusófonos

Os militares Força Aérea Portuguesa (FAP) da Esquadra 601...