TAP terá impacto de 10 mil milhões de euros no PIB português até 2030

A TAP terá um impacto de mais de 10.000 milhões de euros no Produto Interno Bruto (PIB) português até 2030, segundo um estudo que foi mandado executar pela da companhia aérea nacional, e cujos resultados foram revelados nesta terça-feira, dia 14 de setembro, pela presidente executiva da empresa.

“Estima-se que a TAP contribua com mais de 10.000 milhões de euros para o PIB português até 2030”, avançou Christine Ourmières-Widener, na Assembleia da República, em Lisboa, durante a sua intervenção na comissão parlamentar eventual para o acompanhamento da aplicação das medidas de resposta à pandemia de covid-19 e do processo de recuperação económica e social.

Segundo a responsável, os dados fazem parte das conclusões de um estudo realizado a pedido da companhia aérea, sem especificar a autoria da análise.

Christine Ourmières-Widener foi ouvida pelos deputados daquela comissão, numa sessão em inglês, com a presença de um tradutor, naquele que foi o primeiro ato público da nova responsável pela gestão da companhia aérea, que assumiu o cargo em 25 de junho passado.

A engenheira aeronáutica francesa de 56 anos tem em mãos a tarefa de executar o plano de reestruturação da companhia aérea, proposto à Comissão Europeia em dezembro do ano passado, mas que ainda não recebeu ‘luz verde’ de Bruxelas.

Na mesma ocasião, Christine Ourmières-Widener adiantou também que o despedimento coletivo que a empresa está a levar a cabo vai abranger 78 trabalhadores, abaixo dos 124 previstos, após novas adesões às medidas de rescisão voluntária propostas pela companhia.

 

“Na TAP, todos os membros da minha equipa já arregaçaram as mangas para trabalhar”, afirmou Christine Ourmières-Widener, perante os deputados da Comissão Eventual.

 

Sobre a atual situação do transporte aéreo a líder da TAP disse que a procura por viagens estagnou a tal ponto, devido à pandemia de covid-19, que é difícil compreender a extensão dos danos e quanto tempo demorará a recuperação.

“As repercussões na TAP têm um efeito sistémico. […] Não me cansarei de repetir que a TAP era o garante de circulação estimada em mais de três mil milhões (bilhões no Brasil) de euros na economia portuguesa”, acrescentou a responsável, lembrando que, em 2019, a TAP comprou cerca de 1.000 milhões de euros a mais de 1.000 empresas nacionais.

A presidente executiva recordou ainda que, antes da crise da provocada pela pandemia, a companhia aérea “contribuía de forma significativa para o desenvolvimento do setor do turismo”, ajudando também para a redução da balança comercial.

No entanto, devido às restrições à mobilidade adotadas para conter a propagação do coronavírus, a transportadora registou, em 2020, cerca de menos 12 milhões de passageiros, o que corresponde a uma descida de mais de 70%, comparativamente a 2019.

 

  • Notícias composta com textos divulgados pela agência portuguesa de notícias ‘LUSA’

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica