Açores contrata a Ryanair para promover as ilhas no Reino Unido

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

O Governo da Região Autónoma dos Açores, uma das duas regiões insulares de Portugal, no Oceano Atlântico, assinou com a companhia aérea irlandesa Ryanair, um contrato para promoção das ilhas dos Açores no Reino Unido, no valor base de 920 mil euros.

A notícia foi avançada nesta segunda-feira, dia 11 de maio, pela estação de rádio Antena 1/Açores, que referiu que a adjudicação resulta do facto da companhia irlandesa ter ganho um concurso internacional lançado pela Secretaria Regional da Energia, Ambiente e Turismo, cujo resultado foi agora publicado na página da BASE – Contratos Públicos Online. O concurso foi disputado por quatro concorrentes, sendo que as restantes três empresas se dedicam à criação e desenvolvimento de campanhas de promoção e de marketing, no segmento do audiovisual e criação gráfica.

O contrato já foi assinado no passado dia 28 de abril, ficando a Ryanair obrigada a promover uma campanha de promoção turística da Região Autónoma dos Açores no Reino Unido – Grã-Bretanha e Irlanda do Norte –, com materiais que serão criados pela companhia aérea e aprovados pela Região Autónoma.

Segundo a notícia da Antena 1/Açores, o contrato em causa determina o pagamento, por parte do executivo regional açoriano, de um montante de 920 mil euros, acrescidos de IVA (imposto sobre o valor acrescentado), e de um prémio adicional de 240 mil euros, também acrescidos de IVA, caso haja uma “boa execução” do contrato e “caso a promoção turística resulte num aumento da procura pelo destino Açores”.

A companhia de baixo custo irlandesa Ryanair voa para os Açores, ilhas de São Miguel e da Terceira, desde Lisboa e do Porto, em Portugal, desde 2015, em regime de baixo custo, com contratos que, inicialmente, receberam um valioso aporte do Governo Regional, Turismo de Portugal e ANA – Aeroportos de Portugal.

Aliás, é esta a forma como a Ryanair trabalha e desenvolve destinos e núcleos aeroportuários na Europa. Isso mesmo aconteceu igualmente em outros aeroportos portugueses: Lisboa, Porto e Faro/Algarve, com a atribuição de verbas muito mais relevantes.

Até antes da pandemia de covid-19, a Ryanair voava semanalmente de Ponta Delgada (ilha de São Miguel) para Manchester e Londres/Stansted, no Reino Unido. No final do ano passado a companhia irlandesa anunciou que a partir do corrente Verão IATA iria deixar de voar para Manchester, passando a fazer duas ligações semanais de São Miguel para Londres/Stansted. Programou também outro voo semanal entre a ilha Terceira e a capital britânica, entretanto adiado devido à suspensão do tráfego aéreo.

 

  • Imagem de arquivo do primeiro voo da Ryanair para o Aeroporto João Paulo II, na cidade de Ponta Delgada, ilha de São Miguel, no final de março de 2015.

 

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

Presidente da SATA demitiu-se por falta de “condições” para continuar o “projeto proposto”

A Comissão de Trabalhadores da companhia aérea portuguesa Azores...

FAP terminou missão de patrulhamento no Golfo da Guiné em cooperação com países lusófonos

Os militares Força Aérea Portuguesa (FAP) da Esquadra 601...

Qatar Airways reforça Luanda que terá quatro voos semanais e alarga rede para Kinshasa

A Qatar Airways prossegue a expansão da sua rede...