Administração pede envolvimento dos trabalhadores na recuperação da TACV

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

A recuperação da confiança na companhia aérea de bandeira da República de Cabo Verde só é possível com o envolvimento dos seus trabalhadores e parceiros, reitera a administração da TACV – Cabo Verde Airlines, em comunicado divulgado nesta quarta-feira, dia 10 de agosto, na Cidade da Praia.

A reação dos responsáveis da Cabo Verde Airlines surge na sequência da posição assumida recentemente pelo Sindicato Nacional de Pilotos da Aviação Civil (SNPAC), que questionou algumas situações verificadas na transportadora aérea.

“Uma das principais preocupações da empresa foi criar condições para uma operação segura, que passa obrigatoriamente pela formação e avaliação de todo o staff da empresa”, lê-se no comunicado.

Segundo a administração, o Boeing 737-700, matrícula D4-CCI – alugado à TAAG Linhas Aéreas de Angola –, entrou na frota da TACV a 8 de maio de 2022, tendo antes recebido trabalhos de manutenção com recurso a componentes e peças que faziam parte do stock existente e outras adquiridas para o efeito.

“Com vista a proporcionar uma operação segura, a TACV adquiriu peças e ferramentas necessárias para garantir a manutenção programada da aeronave durante o corrente ano”, acrescenta o comunicado, ajuntando que a companhia tem capacidade de reparar localmente outras componentes, como rodas, travões e baterias.

“As peças e as ferramentas encontram-se nos armazéns da TACV. Todavia, existem peças que pelo seu elevado custo e baixa probabilidade de avaria, não se recomenda a sua aquisição para stock, como exemplos de equipamentos de elevado custo temos os motores, trens de aterragem, controlo eletrónico do motor”, explicou a administração da TACV.

A direção da companhia aérea nacional lembra que, desde 27 de dezembro de 2021, a TACV opera com apenas uma aeronave na sua frota e que esta condição a impossibilita de, em caso de irregularidades, efetuar a reposição de voos para proteção dos passageiros em tempo útil.

“Por forma a minimizar os constrangimentos causados aos passageiros e cumprir os regulamentos das autoridades aeronáuticas, a TACV tem recorrido a leasing de aeronaves, em regime de ACMI e com razoável sucesso na proteção aos passageiros”, notou a administração, acrescentando que a companhia está a trabalhar para a aquisição, em regime de dry lease, de uma segunda aeronave, ainda este ano, e tem estado a melhorar o seu nível de armazenamento de peças.

Quanto a licenças de softwares de operação, informou a administração, devido ao histórico de dívidas da TACV, a empresa vem negociando com todos os fornecedores o pagamento das mesmas e a reativação dos serviços.

 

  • Fonte: INFORPRESS Agência Cabo-Verdiana de Notícias
  • Foto de abertura © Hugo Guerra Planespotter

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

 ‘Portugal Stopover’ da TAP distinguido pelos leitores da ‘Global Traveller’ pela sexta vez

O programa Stopover da TAP Air Portugal foi distinguido...

EasyJet melhora resultados no primeiro semestre fiscal (2023-2024) mas ainda com prejuízo

A companhia aérea europeia de baixo custo EasyJet registou...

Major-general piloto-aviador da FAP na reserva lidera departamento de Segurança da Sevenair Academy

Mário Barreto foi nomeado para liderar o Departamento de...

Governo dos Açores garante “pleno funcionamento” da administração da SATA Holding

O Conselho de Administração da SATA Holding "está em...