Aeroporto de Londres/Gatwick reabre às seis da manhã de sexta-feira, dia 21

O Aeroporto de Londres/Gatwick, no Reino Unido, reabre às 06h00 (mesma hora UTC) da manhã desta sexta-feira, dia 21 de dezembro, anunciaram os responsáveis pela segunda maior estrutura aeroportuária britânica.

O aeroporto encontra-se encerrado desde cerca das 21h00 de quarta-feira, dia 19 de dezembro, devido a um ataque de drones. As autoridades policiais, que estão em campo a investigar a origem desta movimentação de aparelhos que voam com comando remoto, disseram que estão convictas de que se trata de um ataque que tem por objectivo causar constrangimentos no tráfego aéreo na área metropolitana de Londres.

Os serviços de segurança do aeroporto mandaram suspender todo o tráfego de aviões na quarta-feira à noite, depois de terem registado a presença de dois drones a sobrevoar as zonas das pistas de aterragem e descolagem – uma a principal, que é a única em uso, e outra auxiliar que serve para circulação dos aviões e para espera. O aeroporto reabriu depois, pelas três horas da madrugada desta quinta-feira, dia 20 de dezembro, mas voltou a encerrar 45 minutos depois, quando foi detetada a presença de um outro drone na área.

A polícia, que está a investigar este caso e que diz ter no terreno cerca de 20 unidades que procuram os operadores dos drones que estão a ameaçar a segurança de aviões e passageiros no segundo maior aeroporto britânico, anunciou, na manhã desta quinta-feira, ter visto mais um drone, pelas 07h00, pelo que determinou o encerramento total das operações aéreas em Londres/Gatwick.

Além dos voos já afetados na noite de quarta-feira, para esta quinta-feira estavam previstos 760 voos comerciais com capacidade para transportar cerca de 110.000 passageiros, que desesperam por notícias. A EasyJet já comunicou aos seus passageiros que os voos com partida e chegada a Londres/Gatwick foram cancelados. Outras companhias anunciaram o reforço das operações noutros aeroportos londrinos, nomeadamente com a utilização de aviões de maior capacidade para despacho dos passageiros afetados que, para tal, tiveram de mudar de aeroporto.

Entretanto, a autoridade aeronáutica nacional do Reino Unido – CAA Civil Aviation Authority – informou através das redes socais que os passageiros afetados deverão contactar as companhias aéreas para saberem a posição dos seus voos e com vista à remarcação de novas viagens ou alteração de percursos. Contudo, alertou para o facto de estarem perante uma situação extraordinária, pelo que as companhias aéreas não são obrigadas a indemnizar os seus clientes pelos atrasos ou pela recusa de embarque nos voos que estavam reservados.

 

  • Notícia em desenvolvimento – Última atualização às 23h40 UTC

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica