Air Macau já voa para 80 por cento da sua rede na China Continental

A Air Macau, companhia de bandeira da Região Autónoma Especial de Macau (RAEM), onde se fala português, já retomou 80 por cento das rotas para destinos da China Continental, comparando com os destinos que servia antes da pandemia, há cerca de 18 meses relativamente ao nível registado antes do início da pandemia.

A companhia já atinge uma taxa de ocupação de 70 por cento e regista uma recuperação de até 65 por cento no volume de voos, em comparação com o período pré-pandémico.

Os números foram revelados pelo jornal de língua portuguesa ‘Tribuna de Macau’, que cita declarações do subdiretor da Air Macau a outro jornal, o ‘Ou Mun’. Liao Hanxi explicou que o ritmo de recuperação das ligações aéreas tem vindo a acelerar depois do Ano Novo Chinês, recordando que durante esse período de feriados as autoridades apelaram aos cidadãos para que evitassem deslocações.

Em abril, a companhia aérea contabilizou uma média diária de 4.000 passageiros, sendo que antes estava a registar cerca de 3.000. Liao Hanxi disse que no início de maio foram transportados mais passageiros, sobretudo durante a Semana Dourada, no entanto, o número de turistas caiu na segunda metade de mês, devido à detecção de novos casos de covid-19 nas regiões vizinhas. Segundo disse, a Air Macau registou uma média de 3.800 passageiros em maio.

Em relação ao presente mês, o mesmo responsável apontou que, com os exames nacionais para acesso às universidades e a pandemia na Província de Guangdong, o número médio diário de passageiros deve cair para 3.200.

Em concreto, Lao Hanxi afirmou que a maioria das ligações aéreas para cidades chinesas já voltou ao nível de 2019, à exceção de Pequim e Hangzhou. O subdirector da Air Macau acrescentou que “o volume de reservas para o Verão está satisfatório”, no entanto, é preciso “observar a evolução recente da pandemia”. O mesmo responsável admitiu que a normalização das ligações ainda é muito incerta.

A Air Macau lançou esta semana uma rota para a cidade de Nantong, na província de Jiangsu, no leste da China. Os voos são realizados quatro vezes por semana, com partidas de Macau nas segundas, quartas, sextas e domingos. Segundo Liao Hanxi, a empresa pretende intensificar os voos para o leste da China, sobretudo na zona do Delta do Rio de Yangtsé.

Entretanto, neste ano, a Air Macau já recebeu dois novos aviões Airbus A321neo, diretamente de fábrica, que cumprem a programação de modernização da frota, anteriormente estabelecida. O último, que a imagem documenta, saiu da fábrica da Airbus, em Hamburgo, no passado dia 23 de junho. Quatro aviões A320 encontram-se desde há mais de um ano a voar para a Air China, no continente. As aeronaves estão alugadas à maior acionista da companhia aérea da RAEM, numa ocasião em que se verificou que havia aparelhos a mais na frota da empresa macaense, dada a pouca procura devido à pandemia. Ainda não há data para o regresso.

 

  • Foto de abertura © XFM-Spotter

 

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica