Angola, Nigéria, Egito e Sudão devem 2 mil milhões às companhias aéreas

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

 width=“750” height=

A AFRAA, associação das companhias aéreas de África, apelou nesta terça-feira, dia 22 de novembro, aos governos de Angola, Nigéria, Egito e Sudão, para liquidarem as suas dívidas a diversas empresas estrangeiras que voam para esses países, avaliadas em cerca de 2 mil milhões de dólares norte-americanos.

A associação, que realizou a sua 48ª assembleia-geral na cidade de Victoria Falls, no Zimbabué, alertou esses governos que as verbas retidas nesses países, e não transferidas por dificuldades na obtenção de divisas, podem colocar em risco o futuro do transporte aéreo em África, pois muitas das companhias afetadas por esses débitos estão sedeadas em países africanos e também vivem de orçamentos limitados.

As dificuldades e atrasos na transferência de receitas da TAP em Angola, por exemplo, tem levado a companhia portuguesa a não vender bilhetes em moeda local, pois é já bastante elevada a quantia retida em Luanda. Esses atrasos têm sido recorrentes, também em outros sectores da atividade económica entre os dois países, devido à baixa dos preços do petróleo. Como é de conhecimento geral a queda de produção e de receitas, no sector petrolífero, mergulhou Angola num clima de recessão económica, tendo paralisado diversos investimentos no país.

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

TACV regressa aos voos domésticos em Cabo Verde com ATR72-600 alugado à Air Senegal

A TACV – Transportes Aéreos de Cabo Verde, companhia...

São Tomé e Príncipe bate em 2023 recorde de entrada de turistas no País com portugueses a liderar

A República Democrática de São Tomé e Príncipe superou...

ANAC e APA já deram aval a obras de melhoria no Aeroporto Humberto Delgado/Lisboa

Francisco Pita, administrador executivo da ANA – Aeroportos de...

Sindicatos da Portway desconvocam greves após novo Acordo de Empresa

Os quatros sindicatos dos trabalhadores da empresa portuguesa de...