Autoridade de aviação do Canadá participa na recertificação do Boeing 737 MAX

Pilotos e engenheiros da Transport Canada, entidade de aviação civil do Canadá, vão realizar a partir desta semana alguns voos de teste com aviões Boeing 737 MAX modificados, acompanhados por técnicos da construtora aérea norte-americana, para testar as modificações feitas pela Boeing nos aparelhos que estão parados desde março de 2019, após dois acidentes fatais.

Trata-se de uma das fases finais dos testes de recertificação do modelo que poderá voltar aos voos comerciais no último trimestre do corrente ano.

A Transport Canada é o primeiro regulador estrangeiro a realizar os testes, após os voos de ensaio e de reverificação realizados no início deste Verão pela FAA (Administração Federal de Aviação dos EUA), entidade que tem por tarefa testar e certificar as novas aeronaves fabricadas nos Estados Unidos.

As ocorrências conhecidas, que se registaram com os B737 MAX 8 nos anos 2018 e 2019, levaram a uma desconfiança generalizada dos diversos clientes da Boeing e das autoridades reguladoras em muitos países, que proibiram os voos deste modelo da fábrica norte-americana. Mesmo depois das modificações e de novos ensaios da FAA as entidades reguladoras do Canadá, do Brasil e da União Europeia exigiram estar presentes em novos testes de voo junto com engenheiros da Boeing. É o que está a acontecer a partir desta semana.

Os testes com as autoridades do Canadá serão realizados nas instalações da Boeing, no estado de Washington, no noroeste dos EUA, refere a ‘Reuters’ que adianta que a Agência de Segurança da Aviação da União Europeia (EASA) ainda não tem atualmente uma programação para esses testes. O mesmo acontece com o Brasil.

A Transport Canada disse que está preparada para participar nos trabalhos da denominada Junta de Avaliação Operacional Conjunta (JOEB) liderada pelos EUA, que avaliará os requisitos mínimos de treino de pilotos com parceiros da Europa e do Brasil. A JOEB está prevista para decorrer no próximo mês de setembro.

No Canadá, duas companhias, a Air Canada e a WestJet, já receberam diversos aviões MAX, atualmente parados, e muitos outros estão para chegar, dependentes da nova avaliação operacional da aeronave.

Também no Brasil a GOL Linhas Aéreas já tinha recebido sete aviões MAX 8 de uma encomenda de 101 aeronaves do novo modelo da Boeing (versões MAX 8 e MAX 10), que chegaram a estar ao serviço até à proibição de voar no primeiro trimestre de 2019. Os sete aviões estão estacionados no Aeroporto de Confins, na cidade de Belo Horizonte, aguardando a recertificação do modelo. Entretanto, nos EUA, nas instalações da construtora estão prontos para entrega mais 13 unidades que ficaram prontas até janeiro de 2020, data em que a Boeing resolveu interromper a montagem dos novos MAX.

A atividade comercial dos Boeing MAX foi suspensa em março de 2019, depois de dois acidentes fatais em que morreram 346 pessoas.

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica