Caça russo intercepta P-3 português e mostra as suas armas (com vídeo)

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

Em Novembro de 2014, um Sukhoi Su-27 russo interceptou um P-3 Orion português da Esquadra 601 “Lobos” em espaço aéreo internacional, sobre o mar Báltico, no âmbito das Immediate Assurance Measures (IAM) 14 e da missão NATO Air Policing (em que também participaram quatro F-16 nacionais). Movido pela curiosidade, o caça russo aproximou-se rapidamente do avião de vigilância e patrulhamento marítimo (por detrás), reduziu a sua velocidade para flanquear a aeronave portuguesa durante alguns minutos, mostrou o que tinha a mostrar, voltou sobre a direita e desapareceu tão depressa como tinha surgido.

O Sukhoi Su-27 é um caça de longo alcance, comparável ao F-15 norte-americano. Dispõe de dois motores turbofan Lyulka AL-31F (com 12500 kg de impulso em afterburner), e de uma asa integrada na fuselagem, com uma dupla cauda. Voa a Mach 2.35, num raio de alcance em voo ferry de 4400 quilómetros e com um tecto de serviço de 18.000 metros. A sua razão de subida é de 300 m por segundo. Nos salões aeronáuticos, o S-27 demonstrou uma manobrabilidade excepcional e elevados ângulos de ataque. É igualmente impressionante em manobras de tail slide. Constitui a linha da frente dos aviões desenhados pelo Sukhoi Design Bureau. O aparelho está preparado para operar em combate de uma forma autónoma sobre território hostil, escoltar aviões de combate e atacar bases inimigas. Possui um canhão GSh-30-1 de 30 mm, mais 7600 kg em armamento como AAM, AGM, bombas, rockets, drop tanks e pods ECM, colocados em dez pontos externos. Entrou em serviço em 1984, e foi exportado para a Ucrânia, Belarus, Casaquistão, Vietname, China e Índia.

Sob a égide da NATO, a Esquadra 601 “Lobos”, realizou durante um mês, missões de patrulhamento marítimo no âmbito das Immediate Assurance Measures (IAM) 14, sediados na Base Aérea em Siauliai, na Lituânia. Durante a operação, estiveram mobilizados 27 militares das áreas de operações, logística, manutenção, comunicações e sistemas de informação e de apoio tendo sido realizadas 13 missões, totalizando cerca de 90 horas de voo. O P-3 Orion dispõe de um vasto leque de possibilidades no que diz respeito ao armamento que poderá usar nos mais variados tipos de missões. Os torpedos MK46, mísseis anti-navio AGM-84D Harpoon, as bombas de profundidade MK54 e os mísseis AR/AR AGM 65 Maverick.

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

TACV regressa aos voos domésticos em Cabo Verde com ATR72-600 alugado à Air Senegal

A TACV – Transportes Aéreos de Cabo Verde, companhia...

São Tomé e Príncipe bate em 2023 recorde de entrada de turistas no País com portugueses a liderar

A República Democrática de São Tomé e Príncipe superou...

ANAC e APA já deram aval a obras de melhoria no Aeroporto Humberto Delgado/Lisboa

Francisco Pita, administrador executivo da ANA – Aeroportos de...

Sindicatos da Portway desconvocam greves após novo Acordo de Empresa

Os quatros sindicatos dos trabalhadores da empresa portuguesa de...