Bem-vindo, !|Sair

Elbit Systems aumenta capacidade de visão sintética no Falcon 5X



 

O Enhanced Flight Vision System (EFVS) e a tecnologia de Head-Up Display ClearVision, da Elbit Systems, vai permitir ao novo Dassault Falcon 5X voar de uma forma contínua e sem obstáculos, com orientação para aterragem e descolagem. Os sistemas fornecidos pela empresa israelita foram amadurecidos e testados com sucesso noutras plataformas de jactos executivos Falcon. Para o 5X a Elbit Systems desenvolveu o ClearVision EFVS de modo a proporcionar uma maior flexibilidade operacional para destinos que revelam habitualmente restrições meteorológicas. Este sistema EFVS cobre a totalidade do envelope de voo e ultrapassa condições meteorológicas extremas e reduzida visibilidade, de noite e de dia. Constituída por um Enhanced Vision Systems (EVS) e um Head-Up Display (HUD), isoladamente ou em configuração dual, esta solução permite um voo intuitivo “out of the window”, minimiza a dependência dos instrumentos do aeroporto, reduz a distância mínima de aterragem e dá créditos adicionais para as descolagens.

 

Pormenor-Clearvision-EVS

O sistema apresenta orientações de voo de acordo com a simbologia convencionada, com visão sintética e vídeo de alta resolução. Recorrendo a sensores multi espectrais para capturar e apresentar o terreno e as luzes dos aeroportos em períodos de escuridão e visibilidade reduzida (nevoeiro, nuvens, chuva, neve, pó ou fumo), os sistemas combinam e fusionam-se com o Head-Up Display, a base de dados global do terreno (Synthetic Vision System – SVS), funcionando como um Combined Vision System (CVS). O CVS fornece uma visão em alta fidelidade do mundo exterior, mesmo com visibilidade zero, permitindo aos pilotos visualizar as balizas da pista em melhores condições e a par com os sistemas de ajuda à aproximação. Isto permite melhorar a capacidade dos pilotos para realizar aproximações e aterragens em segurança, reduzindo os riscos de acidentes do tipo Clear Flight into Terrain (CFIT) e ganhar créditos dos regulamentos da FAA e da EASA para distâncias mínimas de descolagem e aterragem.

1 Comments

  1. Ótimo artigo. Apenas uma correção, se me permitem: o acrônimo “CFIT” corresponde a “Controlled Flight Into Terrain”, i.e. o acidente se consuma por equívoco e falta de consciência situacional e não por perda de controle na pilotagem.

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica