Bem-vindo, !|Sair

Escolha de lugares em voos da TAP será paga a partir de agora

 width=“750” height=
A TAP disponibiliza desde esta quinta-feira, dia 25 de agosto, o ‘bloqueio’ de lugares a pagar, a partir de dez euros em voos na Europa e desde 25 em voos intercontinentais, segundo uma informação da companhia às agências de viagens, revela a agência de notícias de turismo e viagens ‘PressTUR’.

“Os assentos estarão disponíveis para reserva e venda até à abertura do check-in do voo”, explica a companhia nessa informação, em que anuncia o que denomina como “conceito de ‘chargeable seats’”, acrescentando que “quando o check-in do voo for aberto, estes lugares serão “libertados” e serão reservados gratuitamente”.

“A partir de 25 de agosto de 2016, a TAP passa a dar aos passageiros a oportunidade de bloquear, mediante pagamento de um fee, os seus lugares preferidos nos aviões (voos operados pela TP/NI/WI, com excepção dos voos Lisboa-Porto v.v.)”, começa por anunciar a TAP, avançando de seguida que o “conceito de chargeable seats” é aplicado em todos os voos excepto entre Lisboa e Porto e está disponível nos GDS Amadeus, Galileo, Sabre, Apollo e Worldspan para venda pelas agências de viagens, “através de EMD-A até 3 horas após o bloqueio do lugar”, findas as quais, sem pagamento “o bloqueio será cancelado”.

O sistema funciona por cruzamento das ‘famílias de tarifas’ da TAP (Discount, Basic, Classic, Plus e Executive) com as distâncias dos voos (Europa e Intercontinental) e três ‘tipos de lugares’: “Extra Legroom / Espaço Extra para as Pernas (Saídas de Emergência e Económica Plus dos voos BOS/JFK); Área Preferencial (1as. Filas, excepto Económica Plus dos voos BOS/JFK); e Lugares Standard”.

As low cost foram as pioneiras da cobrança da marcação de lugares que entretanto, com a generalização da tendência de autonomizar/cobrar separadamente serviço (unbundling) se tornou um dos ancillaries (serviços complementares) que mais rende às companhias aéreas.

A maior dificuldade estava em permitirem que as agências de viagens também tivessem acesso à venda desses serviços (o que estava facilitado para as low cost pois sempre venderam diretamente nos seus websites a esmagadora maioria dos bilhetes), o que entretanto foi muito facilitado pela introdução de tecnologias com o ‘Rich Content and Branding’ da Travelport, que é não só o GDS mais utilizado pelas agências de viagens portuguesas como tem contratado com a TAP a utilização da sua ‘Merchandising Platform’, que suporta informação e venda de diversos ancillaries, como este ‘bloqueio’ de lugares pré-abertura do check-in.

A informação da TAP às agências de viagens a que o ‘PressTUR’ teve acesso mostra que os passageiros que voam com tarifa TAP|Discount têm sempre que pagar quando pretendem “bloquear” um lugar num voo, entre dez euros para um lugar standard num voo intra-europeu e 60 para um Extra Legroom num voo intercontinental.

Para quem tem tarifa TAP|Plus, o Extra Legroom é pago (20 euros num voo intra-europeu e 60 num intercontinental) mas reservar em ‘Área Preferida’ ou ‘Lugares Standard’ é gratuito.

Com tarifas TAP|Basic e TAP|Classic, os passageiros podem reservar gratuitamente ‘Lugares Standard’, mas os ‘Extra Legroom’ e ‘Área Preferida’ são a pagar, no primeiro caso 20 euros em voos intra-europeus e 60 em intercontinentais e no segundo 15 euros em intra-europeus e 35 em intercontinentais, excepto Nova Iorque JFK e Boston, rotas para as quais a TAP indica que cobra 60 euros (65 dólares nos Estados Unidos e 85 dólares canadianos no Canadá) nas primeiras filas com espaço extra para as pernas (da fila 6 à 18).

Os passageiros Gold, TAP Corporate e TAP Amex estão isentos da cobrança, podendo escolher gratuitamente o seu lugar.

 

  • Texto publicado pela agência de notícias de turismo e viagens ‘PressTUR‘, parceiro editorial do ‘Newsavia’ em Portugal.

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica