Ex-ministro da Economia destaca grande crescimento da TAP após a privatização de 2015

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

O antigo ministro português da Economia António Pires de Lima sublinhou, nesta quarta-feira, dia 7 de junho, que era “crítico” privatizar a companhia aérea TAP em 2015 e destacou os feitos da gestão privada da empresa, mostrando-se otimista para o novo processo de privatização que deverá arrancar em breve.

“Era crítico procurar privatizar a TAP em condições que assegurassem a sua sobrevivência, o seu desenvolvimento e protegessem os interesses estratégicos de Portugal. E foi isso que se conseguiu com o acordo de venda a 24 de junho de 2015, concluído a 12 de novembro de 2015”, disse o ex-ministro, na Assembleia da República em Lisboa

António Pires de Lima, ministro da Economia entre 2013 e 2015, durante o governo PSD/CDS-PP liderado por Pedro Passos Coelho, esteve esta quarta-feira na comissão parlamentar de inquérito (CPI) à TAP.

“O algodão não engana. Entre 2015 e 2019, anos de gestão privada, a TAP cresceu 35% em faturação, cresceu 61% em passageiros, contratou mais de dois mil trabalhadores”, referiu Pires de Lima.

O antigo ministro da Economia disse estar “otimista” relativamente ao processo de privatização da TAP, que deverá começar em breve, e espera que os direitos dos portugueses sejam assegurados.

Esta é a segunda vez, nos últimos meses, que Pires de Lima é chamado à Assembleia da República, para prestar esclarecimentos sobre a companhia aérea nacional TAP, depois de ter sido ouvido, no início de abril, na Comissão de Economia, Obras Públicas, Planeamento e Habitação, no âmbito de um requerimento do Partido Socialista.

António Pires de Lima era ministro da Economia quando o consórcio ‘Atlantic Gateway’ – composto pelos acionistas David Neeleman e o empresário português Humberto Pedrosa – venceu a privatização da TAP, uma operação consumada em 12 de novembro de 2015, dois dias depois de o governo PSD/CDS-PP ter sido derrubado por uma coligação dos partidos PS, PCP, BE e PEV, que detinham maioria na formação pós-eleitoral da Assembleia da República.

A operação foi parcialmente revertida pelo governo liderado por António Costa (PS), voltando o Estado a deter uma participação maioritária na empresa, mas mantendo a gestão privada da ‘Atlantic Gateway’.

Na audição em abril, Pires de Lima garantiu ser falso e injurioso ter autorizado ou sido condescendente com a compra de aviões para a TAP acima do preço justo de mercado, negando qualquer responsabilidade na aquisição de aviões que tenha prejudicado a companhia área e afastando a ideia de um negócio ruinoso.

 

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

Voos da Korean Air entre Seul e Lisboa favorecem tráfego de passageiros de e para Macau

O lançamento da nova rota da companhia sul-coreana Korean...

Atlântica e ANAC desenvolvem parceria que visa integrar alunos no setor da aviação

Instituições querem formar profissionais na área da aviação, com...

Frota da SATA Air Açores está recuperada e a operação reposta, confirma o Governo Regional

O Governo Regional dos Açores garantiu nesta terça-feira, dia...